Lula se diz alvo de ‘pirotecnia’ e que se sentiu ‘prisioneiro’

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva afirmou na tarde desta sexta-feira, dia 4, que é alvo de “pirotecnia” e de “espetáculo de teatro”. Lula foi principal alvo de nova fase da operação Lava Jato desta sexta-feira. Por decisão do juiz federal Sérgio Moro o petista foi levado de forma coecertiva.

Em pronunciamento feito no Instituto Lula, que também foi um dos alvos da operação desta sexta, que o juiz Moro poderia ter “convidado” ele para ser ouvido.

“Minha indiganção é pelo fato, de que às seis horas da manhã, delegados chegara na minha casa. Pediram desculpa falam que era decisão do juiz Moro. O juiz poderia ter mandado me convidar para ser ouvido que eu iria. Me senti prisioneiro”, afirmou. Lula reclamou de parte da imprensa e afirmou ainda ser alvo de “pirotecnia” e de “espetáculo de teatro”.

“O que vale mais é o  show midiático”, afirmou. Lula disse ainda que não iria “abaixar a cabeça”.

O ex-presidente afirmou ainda que “a partir da semana que vem” irá percorrer o Páis em defesa do PT e também da presidente Dilma. Lula disse ainda que “não deve nem teme”.

Acusação

De acordo com comuicado do Ministério Público Federal, há fortes indícios de que Lula tenha recebido dinheiro de empreiteiras para reforma em triplex que seria utilizado por ele e também em reforma em sítio em Atibaia.

Veja trechos do comunicado do MPF sobre a nova fase da Lava.

“O avanço das investigações revelou, também, evidências de que o ex-presidente recebeu, em 2014, pelo menos R$ 1 milhão sem aparente justificativa econômica lícita da OAS, por meio de reformas e móveis de luxo implantados no apartamento tipo triplex, número 164-A, do Condomínio Solaris, em Guarujá. Embora o ex-presidente tenha alegado que o apartamento não é seu, por estar em nome da empreiteira, várias provas dizem o contrário, como depoimentos de zelador, porteira, síndico, dois engenheiros da OAS, bem como dirigentes e empregado da empresa contratada para a reforma, os quais apontam o envolvimento de seu núcleo familiar em visitas e tratativas sobre a reforma do apartamento. Há evidências de que a OAS pagou despesas elevadas para reformar o imóvel (mais de R$ 750 mil), arcou com móveis de luxo para cozinha e dormitórios (cerca de R$ 320 mil), bem como de que tudo isso aconteceu de modo não usual (foi o único apartamento que sofreu tal intervenção) e com o envolvimento do próprio presidente da OAS, Léo Pinheiro. A suspeita é de que a reforma e os móveis constituem propinas decorrentes do favorecimento ilícito da OAS no esquema da Petrobras, empresa essa cujos executivos já foram condenados por corrupção e lavagem na Lava Jato. Além disso, há fortes evidências de que outros líderes e integrantes do Partido dos Trabalhadores foram agraciados com propinas decorrentes de contratos da Petrobras, inclusive por meio de reformas e após deixarem o cargo público, como no caso de José Dirceu, o que já ensejou acusação criminal formal contra este.”

“As apurações apontam também para o fato de que o ex-presidente Lula, em 2010, adquiriu dois sítios em Atibaia mediante interpostas pessoas, pelo valor de R$ 1.539.200,00, havendo ainda fortes indícios de que, entre 2010 e 2014, recebeu pelo menos R$ 770 mil sem justificativa econômica lícita de José Carlos Bumlai e das empresas Odebrecht e OAS, todos beneficiados pela corrupção no esquema Petrobras. De fato, dois sítios contíguos, um colocado em nome de Jonas Suassuna e outro em nome de Fernando Bittar, foram adquiridos na mesma data, em 29 de outubro de 2010. Tanto Jonas como Fernando são sócios de Fábio Luís Lula da Silva como foram representados na compra por Roberto Teixeira, notoriamente vinculado ao ex-presidente Lula e responsável por minutar as escrituras e recolher as assinaturas. Encontrou-se, ainda, mensagem eletrônica que aponta o uso dos adquirentes nominais como interpostas pessoas. Ademais, o ex-presidente determinou que parte de sua própria mudança, quando do fim do exercício da presidência, fosse entregue na sede dos sítios, para onde foi, com expressiva frequência, ao longo dos últimos anos.”

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password