Leishmaniose: Adesão da população ao encoleiramento é insatisfatória

Do início da segunda etapa do encoleiramento de cães – em 1º de setembro – até agora, apenas seis mil cães receberam a coleira que repele o mosquito palha, transmissor da leishmaniose. O veterinário da Secretaria de Saúde, Élcio Sanchez Estevez Júnior, disse que a adesão da população à campanha não tem sido satisfatória. “Na primeira fase, em um mês, havíamos encoleirado pouco mais de oito mil cães”, e destaca – “é muito importante encoleirar todos os cães a cada seis meses já que o número de infectados vem caindo desde o início do programa”, explica.
No ato do encoleiramento, será coletada uma amostra do sangue do animal para exames e em caso de dúvida, o proprietário terá o direito de solicitar um segundo exame. “Se o dono do cão não estiver confiante no diagnóstico, faremos novos exames”, conta Élcio. Todos os exames para o diagnóstico da leishmaniose são realizados pelo IAL (Instituto Adolfo Lutz), laboratório de referência para o município.

Postos
Ainda neste sábado, dia 27, cães residentes na região sul da cidade vão receber a coleira. O posto ficará permanecerá instalado no Espaço Empresarial “David Mendonça Pontes”, bairro Estação, das 08h às 12h. “Os cães de todo município que não foram encoleirados poderão procurar nas próximas semanas por qualquer um dos postos de encoleiramento”, acrescenta o veterinário.
O Espaço Empresarial “David Mendonça Pontes”, está localizado à avenida Prestes Maia nº 1629, no bairro Estação.
Na próxima semana, entre os dias 29 e 1º de outubro, os postos funcionarão na Unidade de Saúde de Simonsen “Dr. Joaquim Belarmino Vieira” e no Centro Comunitário da Vila Carvalho. Nos dias 02 e 03, o encoleiramento será realizado no Bairro Rural do Cruzeiro, das 08h às 12h.

Segue a localização dos postos de encoleiramento do distrito de Simonsen e da Vila Carvalho:
– Unidade de Saúde “Dr. Joaquim Belarmino Vieira”
R. Aparecida d’Oeste nº 1541 – Simonsen

– Centro Comunitário – Vila Carvalho

– Bairro Rural do Cruzeiro

*Sábado – dia 04 de Outubro, encoleiramento na Vigilância Ambiental, das 08h às 12h.

Indicações sobre uso correto da coleira 
– Todo cão vacinado ou não contra a leishmaniose e acima de quatro meses poderá ser encoleirado;
– Não dar banho ou tosar o cão antes de levá-lo para o encoleiramento. Após a tosa, aguardar 48 horas para colocar a coleira;
– Não é necessário retirar a coleira para o banho;
– Cães menores de três meses de vida não devem ser levados para os postos para serem encoleirados;
– Gatos e outros pets NÃO podem usar a coleira.
Para ingestão acidental da coleira ou dúvidas e informações relacionadas ao uso do produto, deve-se entrar em contato pelo 0800-70 70 512 (MSD Saúde Animal).
A coleira é atualmente a única medida eficaz que, comprovadamente, protege o animal da picada do mosquito palha, transmissor da leishmaniose.

Projeto
As coleiras repelentes à base de deltametrina 4% foram disponibilizadas pelo Ministério da Saúde por meio do projeto desenvolvido pelo próprio órgão federal, Secretaria Municipal de Saúde, IAL (Instituto Adolfo Lutz) e Unifev.
Até dezembro de 2015, estão previstas duas novas trocas de coleira, o que deverá ocorrer a cada seis meses. Ao final do projeto, Votuporanga será o único município a ter recebido mais de 60 mil coleiras do Ministério da Saúde e único a adotar a oferta de encoleiramento para todos os cães residentes.
Mais esclarecimentos sobre os postos de encoleiramento, podem ser obtidos nas Unidades de Saúde do município. Diário de Votuporanga

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password