Kleber é expulso, mas Palmeiras se complica com empate

Odiado por grande parte dos palmeirenses presentes no Pacaembu neste sábado, Kleber foi responsável pela única comemoração similar a um gol dos anfitriões. Aos 15 minutos de jogo, o Gladiador recebeu o vermelho e deu esperança ao ex-clube. Mas a tensão parou o Verdão, que ficou no 0 a 0 com o Grêmio e se complicou ainda mais na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

O Palmeiras não sairia da faixa da degola nem mesmo se vencesse. Com o resultado deste fim de semana, chegou a 17 pontos e pode ficar ainda mais longe de sair da parte da tabela que define quem estará na Série B em 2013. Já o Tricolor gaúcho, com quase o jogo todo atuando com dez, se contentou com o empate, embora tenha 41 pontos e possa se distanciar mais do líder Atlético-MG.

Tenso, o time de Luiz Felipe Scolari perdeu a oportunidade de aproveitar uma superioridade numérica gerada porque Kleber acertou o braço em Henrique com 15 minutos de jogo. A equipe soma seu quarto jogo consecutivo no torneio sem vitória e terá que buscar os três pontos na quinta-feira, contra o Sport, às 21 horas (de Brasília), no Pacaembu. Já o clube de Vanderlei Luxemburgo recebe o Atlético-GO às 20h30 de quarta-feira.

Os jogadores do Grêmio reclamaram bastante com o árbitro depois da expulsão do atacante Kleber

O jogo – O Grêmio sonha com o título brasileiro e busca, ao menos, garantir uma vaga na Libertadores. Mas o desespero do Palmeiras para sair da zona de rebaixamento ditou o ritmo no confronto deste sábado, carregado pela tensão do encontro entre os clubes nas semifinais da Copa do Brasil, há dois meses.

O Tricolor gaúcho, derrotado no mata-mata em junho, demorou a se entender e até encaixar seu jogo em meio à disposição do Verdão. Luan, de volta após lesão muscular, era o símbolo da equipe de Luiz Felipe Scolari, partindo de uma lateral à outra, ora marcando, dando passes ou abrindo espaço para colegas.

Felipão mexeu em cinco atletas que começaram a derrota para a Portuguesa, na quarta-feira. Só Valdivia, suspenso, não saiu por opção do técnico. Correa, Leandro Amaro, Mazinho e Betinho, todos com má atuação no Canindé, foram sacados para que Artur, Mauricio Ramos, Márcio Araújo, Tiago Real e Luan ganhassem suas oportunidades.

Em campo, Tiago Real e Luan trocavam posições na frente, no objetivo de deixar Barcos em condição de finalizar e abrir espaço para as descidas de Juninho pela esquerda. Mas só Henrique, Mauricio Ramos e Thiago Heleno ficavam atrás do meio-campo, com o Verdão fazendo marcação sob pressão no campo adversário.

A estratégia palmeirense isolou Kleber e Marcelo Moreno e confundiu até o experiente Zé Roberto. Sem a ajuda de Marco Antonio na armação, como queria Vanderlei Luxemburgo, o veterano meia demorou a encontrar um espaço no campo. De longe, viu o bem menos cotado Luan deixar Barcos na cara do gol aos oito minutos.

Para desespero de Barcos, o Palmeiras não conseguiu vencer o Grêmio na noite deste sábado

Sem encaixar seu jogo, o Grêmio se complicou ainda mais aos 15 minutos, quando Kleber, que já tinha levado amarelo por reclamação, abriu o braço e acertou Henrique, recebendo o vermelho. O lance acirrou ainda mais os ânimos, e beneficiou o Verdão, que pôde se jogar ainda mais no campo de ataque enquanto os comandados de Luxemburgo olhavam para o técnico e não conseguiam se resolver no gramado.

Em superioridade numérica, e com Artur ainda mais avançado, o Palmeiras teve chance em chute bisonho de Luan para fora e duas finalizações perigosas de João Vitor. Para aproveitar o ânimo em campo, Felipão sacou João Vitor e colocou o atacante Maikon Leite, aos 37 minutos, terminando o primeiro tempo no 3-4-3.

Antes do intervalo, porém, o Tricolor gaúcho deu seu único chute na etapa. E quase balançou as redes. Aos 44 minutos, Zé Roberto recebeu na área de Marcelo Moreno, driblou Bruno e não marcou somente porque Thiago Heleno apareceu para colocar seu corpo na linha do gol. Os gremistas reclamaram de pênalti, mas acabaram contentes por ter o intervalo para se ajustar.

Luxemburgo não mexeu no time, mas parece ter deixado claro que só levaria perigo em contra-ataques, mantendo a equipe atrás para somar algum ponto no Pacaembu. Do outro lado, Scolari soltou ainda mais o Verdão, trocando o mais defensivo Artur para dar a Correa a liberdade de percorrer o corredor que Anderson Pico deixava no lado esquerdo da defesa gremista.

Ainda mais disposto, o Palmeiras iniciou o segundo tempo com finalizações perigosas de Tiago Real. Mas acabou começando um rito que aumentava ainda mais o desespero. Foram muitas as bolas que atravessavam a área de Marcelo Grohe, sem ninguém, nem mesmo Barcos, para colocar alguma delas nas redes.

Na parte final, Luxemburgo reforçou a marcação de seu meio-campo e se beneficiou pela tensão dos jogadores do Palmeiras, que cometiam faltas. O nervosismo ficou claro até com Artur, já no banco de reservas, levando amarelo por reclamação. Neste sábado, a apreensão da zona de rebaixamento venceu a superioridade numérica e deixou o Verdão só com um ponto contra o Grêmio. (gazeta esportiva)

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password