Justiça define futuro dos acusados de latrocínio

São ouvidos pelo juiz da Vara da Infância e Juventude de Rio Preto, Osni Pereira, na tarde desta segunda-feira, 9, os dois menores acusados de matar o músico Renan Robert Danese, 18 anos, em um latrocínio no dia 5 de agosto, uma segunda-feira, no bairro Cidade Nova, em Rio Preto.

A audiência para decisão judicial na Vara da Infância e Juventude começou às 15 horas, uma hora antes do previsto. As famílias dos menores infratores aguardam o final da audiência, mas não quiseram falar com a imprensa.

Além de proibida de entrevistar familiares, a imprensa foi impedida de fazer qualquer imagem dentro do prédio da Vara da Infância e Juventude. Inclusive, fotógrafos e cinegrafistas não puderam entrar.

Segundo informações de pessoas que acompanham a movimentação no local, a mãe de Renan, Paula Danese, esteve no prédio. Assim que foi ouvida pelo juiz, Paula foi embora.

Relembre o caso

Renan e o irmão Peterson, 16, voltavam a pé de uma apresentação na noite do dia 5 de agosto quando, por volta das 22 horas, no cruzamento das ruas Roldão Zampieri e Otávio Pinto César, foram abordados pelos menores, de 15 e 16 anos, que exigiram celular e dinheiro.

Depois de não aceitarem o celular que estava com os jovens, tentaram roubar os instrumentos musicais que os irmãos carregavam. Diante disso, Peterson teria dado um chute em um deles e caído no chão, momento em que as agressões com estilete começaram. Renan, ao defender o irmão, levou três golpes de estilete na perna direita e um nas costas, do lado direito. Ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu e morreu na manhã seguinte, 6 de agosto, no Hospital de Base de Rio Preto.

Os menores infratores foram localizados e apreendidos cerca de 24 horas depois do crime e ficaram internados provisoriamente na Fundação Casa. Maria Stella Calças – diarioweb.com

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password