Julgamento de “Barba” movimenta o Fórum de Votuporanga

Um dos julgamentos mais aguardados neste ano, em Votuporanga está movimentando o Fórum da Comarca. Está sentado no banco dos réus, o ex-segurança Rogério Ferreira, o conhecido “Barba”, acusado de assassinar brutalmente o comerciante André Luis Molina – dentro da loja de Conveniência Portugal, defronte à praça São Bento.

 

O julgamento de “Barba” atraiu muita gente no plenário do Tribunal do Júri. O espaço está tomado por alunos do curso de Direito da Unifev, familiares, tanto da vítima, quanto do acusado, imprensa e público em geral.

Na manhã, o espaço foi reservado para ouvir o depoimento do acusado que contou detalhes daquela fatídica noite de domingo, em junho de 2012, dentro da loja de conveniência.

Barba” está respondendo pela acusação de ter matado o comerciante com mais de dez golpes de faca, no interior da loja ao lado da Praça São Bento em 2012. O assassinato ficou conhecido como o “crime da conveniência”.

 

Na defesa de Barba, estão os advogados Edmilson Marcos de Oliveira, Gésus Grecco e Douglas Fontes, que têm em seus currículos vasta experiência em júris populares, principalmente de casos de grande repercussão.  

Como Barba já confessou durante a fase de investigações que foi o autor das facadas que tiraram a vida de André Luis Lopes Molina, a tese da defesa é de tentar desclassificar as três qualificadores e provar que o réu agiu em legítima defesa, movido por forte emoção, destempero e estresse causados pelo desentendimento com a vítima.

 

 

Barba e André teriam discutido devido um desacordo trabalhista. Após iniciarem luta corporal, o réu pegou uma faca e aplicou os golpes contra André. Em depoimento, Barba contou à polícia que a vítima teria xingado a mãe e o filho dele, além de ter iniciado as agressões.

 

Segundo a versão da acusação, o réu teria prestado serviços como segurança na loja de conveniência da vítima, sendo dispensado pelo comerciante, após ter se afastado para tratamento de uma hérnia umbilical. André também teria demitido, em período anterior ao crime, a mãe de Barba, a qual trabalhou no caixa do estabelecimento.

O votunews trará mais informações a respeito do julgamento do Barba em instantes.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password