Jovens atiram explosivo na delegacia, filmam e postam vídeo

A Polícia Civil de Fernandópolis vai instaurar inquérito contra três jovens, que no último sábado (4) jogaram uma bomba em frente ao Plantão de Polícia da cidade.

Os rapazes filmaram toda a ação e publicaram o vídeo no aplicativo Whatsapp. O assunto “bombou” na internet e a delegada Eda Honorato já fez a identificação dos envolvidos, que devem responder pelos crimes de explosão ao patrimônio público, incitação ao crime e associação criminosa, podendo ser condenados a 10 anos de prisão.

O vídeo de um minuto e dois segundos foi gravado do celular de um dos jovens e mostra três rapazes dentro de um carro, na Avenida dos Arnaldos, acendendo uma bomba e jogando o explosivo em frente ao Plantão Policial. A potência da bomba ainda não foi determinada. As imagens começam com o passageiro da frente do carro dizendo: “É o seguinte, a gente vai soltar uma bomba na delegacia de Fernandópolis”.

Na sequência, eles dizem que estão abrindo o teto do carro na frente do Plantão e convidam o expectador a ver a ação, e jogam a bomba em direção à delegacia. A bomba explode na rua, bem próximo ao prédio público. Toda a ação foi filmada e tem qualidade de áudio.No vídeo é possível ver a rua e o prédio do Plantão Policial com várias viaturas estacionadas.

Quando a bomba explode, eles gritam e comemoram: “Chupa delegada (o), aqui quem manda é o Miguel Neto, Ivanzinho Maia e o “Pia”, é o Trio da Holanda”. Gritando e rindo muito, eles finalizam: “Quem manda nessa p… aqui?”.

INVESTIGAÇÃO 

Dois jovens são moradores de Mirassol e outro de Rio Preto e têm 26, 23 e 21 anos. Um deles é estudante, um bancário e outro trabalha para uma empresa de negócios imobiliários. Eles não têm antecedentes criminais. A Polícia já descobriu que o crime ocorreu pouco antes da meia-noite de sábado.

Um dos envolvidos postou em sua página nas redes sociais uma fotografia do grupo no mesmo dia, dentro do carro, vestindo as mesmas roupas que aparecem no vídeo. Eles estavam em Fernandópolis para ir ao Bartoshow no show da dupla Henrique e Juliano. No dia 22 de setembro, um deles postou no Facebook o ingresso do evento, dizendo que “#finaldesemanavaientrarprahistória”.

O Boletim de Ocorrência lavrado pela delegada Eda Honorato com o relatório de identificação e qualificação dos envolvidos será protocolado na próxima semana na Delegacia Seccional da Polícia Civil, onde o inquérito será instaurado.

CRIMES 

A delegada Eda Honorato está indicando a qualificação dos envolvidos em pelo menos três crimes do Código Penal. O artigo 251, que trata da exposição ao perigo à vida, à integridade física ou o patrimônio de outrem, mediante explosão, arremesso ou simples colocação de engenho de dinamite ou de substância de efeitos análogos, cuja pena é a reclusão, de três a seis anos, e multa.

Por terem divulgado o vídeo nas redes sociais, os três rapazes também devem ser enquadrados noArtigo 286, que trata do crime de incitar, induzir, instigar, publicamente, a prática de crime contra a paz pública, cuja detenção pode chegar a 6 meses. A delegada também aponta o crime previsto no Artigo 288, de associação ao crime, que prevê até 3 anos de prisão.

PERÍCIA 

No B.O. também consta uma cópia do vídeo que será analisado pelo setor de perícia do Instituto de Criminalística da Polícia Civil.

Os acusados ainda não foram informados da investigação e além do processo penal, devem responder ainda ação cível, por ofender a honra e moral dos delegados e de toda a Polícia Civil da cidade.

“Desrespeito total à Polícia Civil”, desabafa delegada
A delegada Eda Honorato recebeu o vídeo que mostra os jovens atirando o explosivo no Plantão Policial, através do Whatsapp, quatro dias após o ocorrido.

“Ainda era cedo quando recebi o vídeo no aplicativo pelo celular e fiquei chocada. Me senti muito ofendida, por mim e por todos os colegas da Polícia Civil de Fernandópolis. O ato foi um grande afronto a cada um de nós e acima de tudo colocou em risco a vida das pessoas e poderia ter explodido viaturas e todo o patrimônio público”, observa.

A delegada fez o boletim de ocorrência da ação criminosa na quinta-feira (9). Ela pretende ainda ingressar com processo cível de ação coletiva de toda a Polícia Civil de Fernandópolis. “Esses jovens fizeram questão de mostrar aos amigos deles o crime que cometeram. É visível o quanto estavam à vontade e comemorando por jogarem uma bomba contra a Polícia. E ainda publicaram o vídeo na internet, onde a visualização das imagens perde o controle. Incitaram o crime e tornaram o ato público, aparentando satisfação em fazer isso. Um desrespeito total à Polícia Civil de Fernandópolis”.

Eda Honorato disse ainda que a perícia técnica identificará se os rapazes disseram “delegada” ou “delegado”. “Tudo indica que eles falam delegada, e somos apenas em três delegadas na cidade. Mas não podemos afirmar, isso apenas a perícia vai apontar com certeza. Estamos todos ofendidos. A citação de uma delegada de Fernandópolis pode estar sendo referida a mim, pois sou a delegada com mais anos de atuação na cidade e quando dizem a delegada da cidade, imediatamente associam o cargo a mim”, explica a Delegada da Mulher em Fernandópolis, Eda Honorato. Tatiana Brandini-Jornal O Extra

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password