Moça visita namorado virtual em Votuporanga e fica na rua

Talita Arruda, 23 anos, deixou a sua cidade, Hortolândia-SP, em busca de um namorado que conheceu pela internet e que vive em Votuporanga. A história não teve final feliz, já que a moça chegou na cidade às 3h30 de sábado, dia 29, e ficou esperando na rodoviária pelo jovem que não apareceu.

 

Tudo, felizmente, não terminou em tragédia, mas serve de exemplo para que outras moças tenham mais cuidado com os relacionamentos virtuais.

 

Com apenas o dinheiro da passagem para chegar até Votuporanga, Talita ficou pelas ruas da cidade até a tarde de domingo, 30, quando conheceu a madrinha de Aline Arruda, uma moradora da cidade que conhece o secretário de Direitos Humanos, Emerson Pereira. Levada até a casa de Aline, recebeu comida e dormiu.

“Estava tudo combinado. Ele sabia que eu vinha para cá e disse que me buscaria. Quando cheguei, liguei várias vezes no celular dele, mas não me atendeu”, contou a jovem.
Comunicado sobre a história, Emerson Pereira entrou em contato com a Comunidade Assistencial Irmãos de Emaus, Casa Abrigo, que tem um convênio com o município e cedeu a passagem de volta para casa e a jovem embarcou ontem, às 14h, para a sua cidade.
Talita, que tem um filho de três anos de idade, não avisou a nenhum familiar para qual cidade estava se dirigindo e deixou o menino com sua irmã. A sua intenção era passar o final de semana com o namorado e voltar para sua cidade. “Ele disse que me levaria de volta de carro depois. Ele contava que tinha um pai empresário, dono de uma empresa de segurança na cidade. Eu acreditei em tudo”.
Talita trabalha em um restaurante e não sabe como ficará sua situação assim que chegar na cidade, já que faltou ao serviço para viajar até Votuporanga.
“Foi uma experiência. Não recomendo para ninguém. Tudo bem que nem todas as pessoas da internet são más, mas foi uma situação muito ruim”, falou Talita, que garantir que não vai mais se relacionar com o rapaz.
“Depois de três meses de namoro virtual e algumas conversas por telefone, a jovem arriscou-se sair de sua cidade sem avisar nenhum familiar para tentar ver um desconhecido. Ela disse que não podia pedir socorro a seu pai, porque além de não saber que ela estava aqui, ele também não tem condições financeiras para mandar o dinheiro da passagem”, disse Emerson.
A jovem procurou a delegacia antes de ir embora, mas não foi possível registrar boletim de ocorrência, porque não tinha acontecido crime.
“Nossa juventude precisa tomar mais cuidado com as relações virtuais. As pessoas não podem acreditar em tudo o que é escrito nas redes sociais. A Talita deixou tudo para trás para viver um amor que não existia, caiu em um golpe, que pode acontecer com qualquer pessoa. Que esta história sirva de lição”, comentou Émerson.
O secretário disse que ouve falar muito sobre estas situações, mas este foi o primeiro atendimento do tipo que realizou. “Sem dinheiro algum. Talita teve momentos de sorriso e prantos na cidade. Espero não ver mais meninas assim”, finalizou.
Aline Arruda, que recebeu Talita em sua casa, conversou bastante com a jovem, orientando que ela tenha mais cuidado em seus próximos relacionamentos.  Leidiane Sabino – A Cidade

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password