Irmão do empresário morto no Camaro pode ser indiciado

O irmão do empresário que morreu em um acidente com um Camaro após fugir duas vezes da polícia em Tabapuã (SP), na noite do domingo (9), pode ser indiciado por homicídio culposo, resistência e também fuga de pessoa presa.

 

O rapaz, que dirigia o veículo na hora do acidente e ajudou o irmão na fuga, segue internado no hospital da cidade.
A polícia já instaurou inquéritos. A delegacia de Uchoa (SP) vai apurar o investigar o acidente, que aconteceu na estrada vicinal entre as duas cidades, enquanto a de Tabapuã vai apurar a fuga do empresário. “Tudo ainda depende da análise da perícia, se realmente tiver indícios ele poderá responder por homicídio culposo”, diz o delegado Paulo Moreschi.

 

Segundo a polícia, o empresário de 27 anos procurou a delegacia de Tabapuã neste domingo (9) para fazer um boletim de ocorrência depois de se envolver em uma batida de carro. Na ocasião, os policiais suspeitaram de embriaguez. “O condutor apresentava sinais clássicos de embriaguez, com voz pastosa, andar cambaleante e odor etílico. Ele foi convidado a fazer o bafômetro, mas se recusou e de forma espontânea partiu em direção ao veículo dele e fugiu”, afirma Fábio Veiga, capitão da Polícia Militar.

 

Veiga diz que o empresário ligou mais tarde para a delegacia pedindo de volta a carteira de habilitação, o que foi recusado. Pelo identificador de chamadas, a polícia descobriu onde o rapaz estava e foi até a residência dele. “Na casa começou o tumulto, ele não queria acompanhar a polícia até a delegacia e fomos tentar algemá-lo. Nesta hora ele ficou mais agressivo e com ajuda do irmão se libertou e eles acabaram fugindo”, diz o policial.

 

No tumulto, um policial teria sido agredido e teve a farda rasgada. Com o irmão ao volante, os dois fugiram de novo pela estrada vicinal que liga Tabapuã e Uchoa, onde o veículo atingiu um cavalo e capotou. O empresário morreu no local.  “Não houve perseguição, não houve disparo de arma de fogo, nada que contribuísse para esse fato lamentável que aconteceu”, diz o policial. O cavalo morreu.

 

O comando da Polícia Militar informou que vai abrir um procedimento para apurar se houve falha no atendimento da ocorrência, já que o suspeito conseguiu fugir duas vezes. O delegado Márcio Acácio Seguesse, de Tabapuã, disse que instaurou inquérito para investigar a fuga. “Vamos esperar o suspeito sair do hospital para ele prestar depoimento sobre o que teria acontecido”, finalizou.

temmais

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password