Inquérito sobre prisões no caso do atentado contra médico de Fernandópolis seguirá sob segredo de Justiça

Todo inquérito policial que investiga o atentado contra o médico Orlando Cândido Rosa seguirá o curso em segredo de Justiça. As declarações são do delegado Gerson Piva, responsável pela Delegacia de Investigações Gerais de Fernandópolis.
Piva disse que não poderá dar maiores esclarecimentos sobre o caso e os envolvimentos dos seis presos que são suspeitos articularem a atendado contra o médico em 12 de junho deste ano.

“Não posso dar detalhes mesmo porque atrapalharia as investigações e a conclusão do inquérito, mas somente depois de apurados todos os fatos e a análise dos envolvimentos de todos, ai sim poderemos identificar o autor do disparo que acerto o médico”, disse Piva.

Segundo ele é necessário cautela para que ninguém seja injustiçado, mas o trabalho da polícia levantou fortes indícios para que a prisão dos seis fosse requisitada.

A mulher do médico, Sueli Teixeira foi encaminhada a Cadeia Feminina de General Salgado enquanto, Jarbas, Rivelino, Ronaldo e Lucas foram encaminhados a Cadeia de Guarani d´Oeste. O ultimo possível envolvido no caso segue preso em Nhandeara. Da Redação

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password