Incêndios na Austrália devastaram três milhões de hectares desde setembro

Temperaturas podem subir a 47ºC em partes do país. Incêndios dos últimos meses mataram 10 pessoas.

O fogo na Austrália já devastou pelo menos três milhões de hectares desde setembro, o equivalente à superfície da Bélgica, enquanto a região de Sydney luta contra incêndios fora de controle.

A costa leste do país foi assolada por uma intensa onda de calor, procedente do oeste, que provocou centenas de focos de incêndio.

Sydney, a maior cidade do país, com 5,2 milhões de habitantes, está asfixiada pela fumaça dos incêndios que ardem ao norte, ao sul e a oeste.

As condições nas proximidades da cidade pioraram e são consideradas “catastróficas, o que significa que qualquer foco de incêndio ativo pode se tornar muito perigoso rapidamente”, advertiu a primeira-ministra de Nova Gales do Sul, Gladys Berejiklian.

“Hoje foi um dia horrível”, afirmou na tarde de sábado (21) o comissário de incêndios de Nova Gales do Sul, Shane Fitzsimmons.

“Não conseguiremos deter as chamas até que as chuvas comecem”, alertou. Quase 3 mil bombeiros lutam em “condições perigosas, difíceis e instáveis”, explicou.

As temperaturas podem subir a 47 °C em algumas áreas de Nova Gales do Sul.

Mais de 460 mil hectares foram destruídos pelas chamas ao norte de Sydney. O fogo se alastrou neste sábado, especialmente na região das Montanhas Azuis, ao oeste da cidade, onde um número várias casas foram atingidas.

Os incêndios dos últimos meses no país mataram 10 pessoas.

A Austrália está acostumada com incêndios florestais, mas este ano o fenômeno começou antes do previsto e sua violência, combinada com temperaturas recorde, aumentou a preocupação com o aquecimento global.

Os moradores da pequena cidade de Bargo, 100 km ao sudeste de Sydney, foram retirados de suas casas após o avanço do incêndio que já devastou 185 mil hectares nas proximidades.

“É horrível, desalentador, dirigir na região. Nos sentimos bastante isolados com as estradas cortadas. Nossos parentes não podem nos visitar”, disse Corey Cartes, um habitante desta cidade de 4.000 habitantes.

Cartes recebeu ordem para abandonar a região há dois dias, mas ficou na cidade para tentar proteger sua residência. O fogo se aproximou e queimou quase toda a cerca.

“Todos oferecem ajuda, mas não há nada que possamos fazer, apenas permanecer longe do perigo e esperar que os bombeiros consigam fazer seu trabalho”, completa.

No estado da Austrália Meridional, afetado nos últimos dias pela onda de calor, 1,5 mil bombeiros lutam contra as chamas, que destruíram mais de 40 mil hectares.

Duas pessoas morreram nos últimos dois dias e dezenas de bombeiros e moradores foram atendidos por ferimentos ou inalação de fumaça.

As equipes de emergência também estão em alerta máximo no estado de Victoria.

0 Comentários

Deixe um Comentário

três + 9 =

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password