Idosa é brutalmente assassinada por casal homossexual no bairro São João

Criminosos alegaram que estavam sendo assediados por ela. “Margarete” foi morta com golpes de barra de ferro.

Y.V.F.P. de 21 anos e seu namorado N.H.F.B. de 22 anos se entregaram espontaneamente na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Votuporanga, na tarde desta quinta-feira (8), após matarem brutalmente a vítima Clarinda Fermino Maciel, mais conhecida como “Margarete”, de 65 anos de idade.

Segundo informações obtidas na DIG, o casal disse que morava com a idosa e alegaram que a mataram após terem sido assediados por ela, mesmo deixando claro a preferência sexual de ambos.

No último dia 6, por volta das 13h30, N.H.F.B. entrou no quarto de Margarete e novamente teria sido assediado por ela. Então, ele teria agarrado a vítima pelo pescoço, aplicando-lhe o golpe conhecido por “gravata”. A vítima começou a gritar que estava sendo estuprada e pegou uma barra de ferro que guardava debaixo de seu travesseiro, tentando acertar N.H.F.B.

Porém, ele conseguiu desarmar Margarete e desferiu vários golpes com a barra de ferro contra a cabeça dela. Em seguida, o namorado Y.V.F.P. entrou no quarto e pulou sobre o corpo dela, colocando um travesseiro sobre a sua face, para que ela parasse de gritar. A vítima, ainda, teria sido estrangulada.

Eles relataram para a polícia que tentaram montar uma cena para que a polícia achasse que Margarete teria sido vítima de latrocínio, retirando assim, a desconfiança sobre eles. Antes de fugir, os dois reviraram toda a casa.

Pra ganhar dinheiro, além de tudo isso, o casal cortou o cabelo da vítima para vender em uma loja especializada.

Após o crime, Y.V.F.P. teria ido trabalhar normalmente e seu namorado N.H.F.B. teria ido para a cidade onde reside, em Tabapuã, de transporte coletivo.

A barra de ferro, a tesoura, luvas cirúrgicas e os cabelos da vítima teriam sido guardados em uma sacola plástica e dispensado por N.H.F.B. no trajeto entre São José do Rio Preto e Catanduva.

Diante dos fatos, os policiais da DIG foram ao local dos fatos, no cruzamento da rua Presidente Dutra com a rua dos Cadetes para constatar a veracidade do crime. O corpo de Margarete foi encontrado em seu quarto, em meio a duas camas e sob um edredom, com ferimentos no pescoço e arranhões no peito.

O IML foi acionado e a Polícia Técnico-Científica também compareceu ao local para fazer a perícia.

No local foram apreendidos uma carteira pessoal da vítima, a almofada, um pedaço de tecido e objetos utilizados na agressão contra a vítima.

Os autores do crime foram detidos e o Delegado Titular da DIG, Dr. Márcio Nobuyoshi Nosse pedirá a prisão temporária de ambos. Eles permanecerão à disposição da Justiça.

 

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password