Homem é denunciado por trote pornográfico

Três mulheres resolveram se unir e denunciar um vizinho após receberem várias ligações de conteúdo pornográfico.

O caso aconteceu em um condomínio de prédios no bairro Macedo Teles, em Rio Preto, e o boletim de ocorrência foi registrado na segunda-feira (30). Na mesma semana, a prefeitura realiza a 1ª Semana Municipal de Prevenção à Violência contra a Mulher.

Uma das vítimas, uma auxiliar administrativa que pediu para não ter o nome divulgado, disse que recebeu a ligação no dia 21 do mês passado. “Ele me disse coisas horríveis e também falou que queria ir ao motel comigo”, disse ela.

Segundo a vítima, ela teria desconfiado de alguns funcionários do prédio e procurou o porteiro do condomínio para saber se outros moradores haviam reclamado do mesmo problema. “Quando conversei com o porteiro tomei um susto. Outras duas moradoras do condomínio também tinha recebido ligações de um homem com a mesma mensagem”, disse ela.

A auxiliar então procurou as outras vítimas, porém nenhuma delas sabia quem era o autor. “Eu tive a ideia de marcar um falso encontro com ele. Liguei e disse que queria sair com ele, mas precisava saber quem era. Ele mandou eu ir até a janela e acenou pra mim”, disse ela.

Segundo a vítima, foi uma surpresa saber que o autor das ligações era o vizinho, o auxiliar de produção T. F. C. S..

“É horrível ter de conviver com ele. Queremos ir em frente e processá-lo. E principalmente, queremos que ele saia do condomínio”, disse a auxiliar.

Segundo a delegada Cristina Santana da Polícia Civil, este tipo de crime é muito comum e as vítimas podem, se quiserem, processar o vizinho. “Daremos continuidade ao caso aqui na Delegacia da Mulher. Depois o caso seguirá para o Fórum e lá elas poderão acioná-lo civilmente.” O acusado poderá responder por pertubação da tranquilidade.

De acordo com Santana, a orientação para vítimas deste tipo de crime, primeiramente, é tentar identificar o autor. “É importante ter um identificador de chamadas. Assim é possível saber de onde a ligação foi feita. Depois procurar a polícia e denunciar o caso.”

Segundo a delegada, a internet é outro campo onde acontecem muitos abusos. “Lá os autores conseguem se mascarar por perfis falsos”, disse ela. Nestes casos, a polícia instaura inquérito e aciona escritórios das redes sociais que conseguem rastrear de onde as mensagens foram enviadas. Jornal Bom Dia

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password