Fórum debate soluções para redução da leishmaniose

Evento estadual aconteceu ontem em Votuporanga, durante todo o dia, no Centro de Convenções e reuniu profissionais da saúde

Votuporanga sediou ontem, no Centro de Convenções, o “III Fórum de Leishmaniose Visceral do Estado de São Paulo: Público e Privado, Universidade e População, Trabalhando com União para Melhor Solução”, que teve o como objetivo unir forças para encontrar soluções para reduzir os casos da doença.

Participaram profissionais da área da saúde de diversas cidades do estado de São Paulo, também do Rio de Janeiro. O encontro faz parte da Semana Estadual de Prevenção da Leishmaniose Visceral, que este ano tem o tema “O Controle Depende da Participação de Todos”.

Votuporanga, por ser referência no cuidado e prevenção da doença em todo estado, foi escolhida como cidade sede. “A Secretaria de Saúde da Prefeitura vem desenvolvendo projetos com parcerias do IAL (Instituto Adolfo Lutz) e Unifev há mais de cinco anos. É um trabalho modelo no controle à leishmaniose, elevando nossa cidade à destaque no cenário nacional”, afirmou o veterinário da Secretaria Municipal de Saúde, Élcio Sanchez Estevez Júnior.

O fórum apresentou um panorama da doença em todo o estado, com enfoque na leishmaniose visceral em animais e humanos. Élcio Sanchez Estevez Júnior contou que os casos da doença têm diminuído em Votuporanga.

“Diminuímos bem a quantidade de infectados, tanto humanos como em animais. A positividade hoje, em animais, é de 9%, há dois anos chegou a ser de 30%. Em 2012 em humanos, tivemos 25 pessoas doentes com oito óbitos; em 2013, foram 21 casos com cinco óbitos; em 2014, 11 humanos doentes e uma morte; neste ano, são três casos e nenhum óbito” contou Élcio.

Este redução deve-­se, de acordo com o veterinários, às ações desenvolvidas no município, como o encoleiramento de cães, pulverização, limpeza e ações de educação em saúde.

No encontro, foram debatidas as atualidades sobre a doença, tratamento, vacinação, controle de vetores e experiências vividas por alguns municípios.

Leishmaniose

A leishmaniose visceral é uma doença transmitida por mosquitos de cor clara, que vivem em ambientes escuros, úmidos e com acúmulo de lixo orgânico (ex.: galinheiros). As fêmeas se alimentam de sangue, preferencialmente ao fim da tarde, para o desenvolvimento de seus ovos.

Pessoas e outros animais infectados são considerados reservatórios da doença, uma vez que o mosquito, ao sugar o sangue destes, pode transmiti-­la a outros indivíduos ao picá-­los.

Para prevenir a doença deve-­se: manter a casa e quintais limpos; evitar que o cão fique dentro de casa; recolher e ensacar constantemente o lixo doméstico, folhas, frutos, fezes de animais e restos de madeiras e entulhos; realizar a poda de árvores, permitindo que a luz solar alcance sua raiz; usar repelentes, mosquiteiros, telas em janelas e inseticidas e evitar que o cão fique solto nas ruas. Leidiane Sabino/A Cidade

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password