Foguetes atingem base dos EUA no Iraque e matam dois soldados americanos e um britânico

É o 22º ataque contra americanos no país desde o fim de outubro.

Cerca de 15 foguetes atingiram nesta quarta-feira (11) uma base militar dos Estados Unidos perto de Bagdá, deixando dois soldados americanos e um britânico mortos, segundo autoridades americanas. Inicialmente, o Exército iraquiano negou que houvesse feridos, mas autoridades dos EUA, falando sob condição de anonimato, disseram que além dos mortos, cerca de 12 soldados da coalizão internacional —  criada para combater o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) em 2014, e liderada pelos Estados Unidos —  foram atingidos no ataque.

É o 22º ataque contra americanos no país desde o final de outubro. Nenhum deles foi reivindicado, mas Washington acusa as facções armadas pró-Irã de serem responsáveis.

No caso mais emblemático, um empreiteiro americano foi morto em um ataque com foguete contra uma base militar em Kirkuk no final de 2019, o que desencadeou vários ataques de retaliação no Iraque e na Síria, contra forças pró-Teerã, incluindo brigadas do Hezbollah. A morte elevou as tensões entre Washington e Teerã, culminando com o assassinato do poderoso general iraniano Qassem Soleimani, em Bagdá, por um drone dos EUA.

Soleimani dirigia as Forças Quds, unidade de elite da Guarda Revolucionária do Irã, e era considerado no Ocidente a segunda pessoa mais importante do país, atrás apenas do líder supremo, Ali Khamenei.

Desde então, os foguetes contra alvos americanos —  incluindo a embaixada, localizada na Zona Verde de Bagdá —   foram retomados quase diariamente. Em janeiro,  pelo menos cinquenta soldados americanos ficaram feridos em um ataque com mísseis executado pelo Irã contra duas bases iraquianas no início de janeiro.

Embora o EI tenha perdido o território de seu “califado”, abrangendo o Iraque e a Síria, ainda possui células clandestinas ou adormecidas que podem realizar ataques.

O parlamento iraquiano votou recentemente para que 5.200 soldados americanos no Iraque deixem o país, uma decisão que ainda não foi implementada pelo governo.

FONTE: Informações | oglobo.globo.com

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password