FLIV se consolida como o maior evento literário do Estado

Parque da Cultura e Centro de Cultura e Turismo deslumbram visitantes

Encantamento aos visitantes e um grande orgulho aos votuporanguenses. Assim foi a 6ª edição do Festival Literário de Votuporanga realizado com uma intensa programação pela primeira vez no Parque da Cultura. Por todos os cantos, o que se viu foi muito entretenimento, lazer, momentos de conhecimento e interação com públicos de todas as idades. A organização estima que mais de 80 mil pessoas tenham passado pelos ambientes do FLIV ao longo dos nove dias de realização, 21 a 29 de outubro.

“Achei tudo muito lindo e organizado. Estou morando em Uberaba e aproveitei o fim de semana em Votuporanga para vir ao Festival. Me surpreendi. Ao chegar aqui me senti como se estivesse em eventos de São Paulo e Rio de Janeiro”, comenta Marina Pelegrine Mauricio da Rocha, visitante do FLIV.

O votuporanguense Afonso Pelegrine também aprovou a 6ª edição do Festival Literário de Votuporanga. “Moro em Votuporanga há 50 anos e achei tudo muito bonito. Está todo mundo de parabéns”, destaca.

Mais que uma iniciativa voltada à leitura, o FLIV se firmou como o maior evento multicultural gratuito do Estado de São Paulo. Foram mais de 160 atividades, além dos shows de grande público com a Orquestra Bacchiana Sesc-SP regida por João Carlos Martins, Pato Fu e Funk Como Le Gusta.

Num dos palcos do festival, o escritor Ignácio Loyola de Brandão discursou no início de sua apresentação: “Estou surpreso. Num momento em que todos falam em crise, eu acho que todo o Brasil devia ver o que Votuporanga foi capaz de fazer. Vocês devem sim ter muito orgulho desse Parque e do Fliv. Este festival é riquíssimo com uma programação de muita qualidade. A cidade está de parabéns. Estou realmente emocionado”. Logo após, Loyola e a filha Rita encantaram a plateia com o espetáculo “Solidão no fundo da agulha”.

Diversos outros nomes da literatura brasileira contemporânea passaram pelo FLIV. Durante o evento, mais de 25 autores participaram de atividades como rodas de bate-papo, palestras, lançamentos de livros, oficinas de escrita e workshops.

A organizadora Cibeli Moretti comemora o sucesso da maior edição da história do festival. “Conseguimos uma diversidade de programação com nomes do país todo e de diversos segmentos de arte. Acredito que a família inteira se sentiu contemplada dentro do festival. Tivemos muito conhecimento e informação atrelados a entretenimento e lazer. Quem veio ao FLIV pôde comprovar que Votuporanga tem um dos maiores eventos multiculturais do Brasil. Ouvimos muitos elogios dos escritores e da população em geral”, disse.

O prefeito Junior Marão comemorou a realização do festival. “O FLIV é uma conquista de todos. É algo que entrou para o nosso calendário e se tornou um grande orgulho para cada morador de Votuporanga”.

A Secretária de Cultura e Turismo, Silvia Stipp, lembrou a trajetória do Festival, que se consolidou como referência em evento literário voltado para o público infanto-juvenil. “Foi um percurso cuidadoso a cada edição, com o propósito de oportunizar a vinda de escritores, artistas, espetáculos e músicos que utilizam narrativas inovadoras e, com isso, formar público receptivo a diferentes formas de linguagens. Nesta edição, o sucesso deu-se também pela escolha do Parque da Cultura e da integração com o recém-inaugurado Centro de Informações Culturais e Turísticas ‘Marão Abdo Alfagali”, um local que reúne lazer, entretenimento, esporte e cultura”.

Cibeli já faz planos para 2017. “Um desafio para o próximo ano é ampliar ainda mais a programação e a diversidade de atrações, inclusive com algum nome ou grupo internacional”.

Nos mais de 10 ambientes montados para o Fliv, os visitantes puderam conferir teatro, dança, contação de histórias, palestras, cinema. Nas rodas de bate-papo com escritores, estiveram temas como a importância da leitura para a produção escrita, os novos rumos da literatura no país, as dificuldades e peculiaridades do processo criativo e o papel do escritor numa realidade altamente midiática e tecnológica.

Muito mais que incentivar a leitura, o festival promoveu ainda discussões sobre questões em voga no atual contexto político-econômico brasileiro, como o protagonismo e o empoderamento feminino e a representatividade literária de grupos minoritários ou socialmente marginalizados.

Estiveram presentes no Fliv 2016 escritores premiados e de grande projeção nacional, como Marcia Tiburi, Lourenço Mutarelli, Noemi Jaffe, Evandro Affonso Ferreira, Marcelino Freire, Veronica Stigger, Marcelo Maluf, Rafael Gallo, os irmãos Fábio Moon e Gabriel Bá, Inês Bogéa, Tarso de Melo, Cadão Volpato, Reynaldo Bessa, Penélope Martins e Jean Garfunkel.

O Centro de Informações Culturais e Turísticas “Marão Abdo Alfagali” sediou grande parte da programação do FLIV nos espaços da Biblioteca, Museu Municipal, Cinema e auditório externo.

Os visitantes também puderam passear pela Feira do Artesanato com apresentação de peças feitas por artesãos da cidade. O Food Park foi uma das novidades da edição. Na Cozinha Literária, o Espaço Senac promoveu oficinas de gastronomia. A Unifev reuniu alunos e comunidade em oficinas de comunicação. No Galpão das Livrarias, o espaço do escritor sediou o lançamento dos livros de Fabíola Rodrigues e Lu Crepaldi. As livrarias Premier, Espaço e Saraiva apresentaram títulos variados para todos os públicos.

Os projetos educacionais, Fliv Itinerante e a carreta Elektro nas Escolas ofereceram conhecimento para as crianças. Estima-se que mais de 10 mil alunos participaram das caravanas promovidas por escolas de toda a região ao festival.

A vida da poetisa goiana Cora Coralina, homenageada da edição 2016, foi contada em rodas de bate-papo, exibição de filmes e no Museu Casa de Cora montado pela Universidade Federal de Goiás (UFG).

Vídeos, fotografias e depoimentos de visitantes e escritores estão disponíveis no facebook do evento. Acesse e confirawww.facebook.com.br/flivotuporanga

 

Organização

O FLIV é realizado pelo Ministério da Cultura, Instituto Comuna, Prefeitura de Votuporanga e Governo do Estado de São Paulo com patrocínios oficiais do Guaraná Antarctica e Elektro. O festival também tem importantes apoiadores culturais: Grupo HSA; Senac; Abaçaí Organização Social de Cultura; Facchini; Poiesis – Instituto de Apoio à Cultura, à Língua e à Literatura; Projeto Ademar Guerra; OC Oficinas Culturais, Apaa – Associação Paulista dos Amigos da Arte; Sesc 70 anos; SESCOOP/SP; SESI-SP; Unifev; Museu Casa de Cora Coralina; Media Lab/UFG e SP Leituras Organização Social de Cultura. A promoção do evento é da TV TEM-Globo. O Fliv Itinerante tem o apoio da Itamarati, Usina Colombo/Açúcar Caravelas e Facchini.

0 Comentários

Deixe um Comentário

17 − 14 =

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password