Filho que usava casa do pai para tráfico é condenado

O juiz Manoel Ferreira Filho da 3ª Vara Criminal de Votuporanga, condenou um homem por tráfico de drogas à pena de 1 ano e 8 meses de reclusão e 167 dias-multa, cujo regime inicial será o fechado. O pai de W.C.S.P.(o condenado), J.C, foi absolvido por falta de provas.
De acordo com a denúncia descrita, o acusado guardava para fins de tráfico, porções de cocaína em pó e na forma de crack e porções de maconha, dentro da casa do pai.
Consta também da denúncia que após investigações preliminares foi constatado o intenso comércio de drogas na residência do pai e do filho. A constante vigilância de usuários de droga naquele local dificultava a abordagem policial, então foi requerido mandado de busca e apreensão.
Com o deferimento da medida, a polícia se dirigiu à casa dos denunciados e encontrou no quarto do filho, dentro do guarda-roupa, nove microtubos de plástico, conhecidos como eppendorf, contendo 2,45g de cocaína em pó e dois invólucros de plástico vedando 9g de crack, quantidade suficiente para confeccionar cerca de 45 porções de crack para a venda.
Atrás do guarda roupa foi encontrada uma sacola com 22,15g de maconha, que poderia ser dividida em sete porções para a venda. No móvel também foi apreendida uma sacola armazenando centenas de microtubos (eppendorf) idênticos aos que continham cocaína em pó, além de um saco de bicarbonato de sódio usado, que segundo a perícia constatou que pode ser usado na manufatura do crack, um isqueiro e a quantia de R$ 167,00 em dinheiro. No quarto do pai foram apreendidas anotações contendo nomes relacionados a valores aludindo ao comércio de drogas, uma carta de um detento do CDP, preso preventivamente por tráfico, R$ 159,00 em dinheiro e alguns objetos sem origem comprovada. O Ministério Público requereu a absolvição do pai por falta de prova, o que foi acolhido pelo magistrado.
De acordo com a sentença, a ação deve ser julgada parcialmente procedente. “A materialidade do crime está comprovada pelo auto de prisão em flagrante Já em relação aos eppendorf alegou ter encontrado numa sacola no meio de uma “moita” e os pegou para poder trocar por droga. Contudo, tal alegação não convence diante da prova
produzida. Com efeito, os policiais que efetuaram a prisão do réu relataram que a família já vinha sendo investigada uma vez que o réu e a sua esposa e os filhos são todos envolvidos com droga há muitos anos e diante da dificuldade para observação”, ratificou o magistrado. Diário de Votuporanga

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password