Filha confessa participação em assalto ao pai, diz promotora

Segundo polícia, irmãs planejaram assalto ao pai pelo WhatsApp. Filha mais velha está presa e mais nova foi absolvida pela Vara da Infância.

A segunda audiência no fórum de Guararapes (SP) sobre o assalto a um comerciante da cidade,planejado pelas duas filhas dele pelo aplicativo WhatsApp, terminou no fim da tarde desta terça-feira (4). A filha mais velha, presa desde a época do crime, voltou pela primeira vez à cidade para prestar depoimento e confessou o crime. Ela está presa em Tremembé (SP).

A promotora de Justiça Maria Cristiana Neira disse que a audiência foi importante para esclarecer alguns detalhes do crime. “Ela novamente confessou toda a participação dela e indicou a participação dos demais. Foi importante para delimitar bem a conduta do amigo, que seria funcionário do pai. Da irmã também, que embora efetivamente não deu ordens, sempre participou e estava junto nas reuniões, não se opôs a nada. Ela relatou com detalhes o crime, como sempre fez.”

A jovem chegou ao fórum por volta das 15h30, onde ficou aguardando a audiência que começou às 17h. Ela contou com detalhes o crime para a promotoria.  A audiência durou cerca de uma hora e também outros dois policiais militares deram depoimento. A jovem chegou a chorar em alguns momentos, principalmente após a audiência, quando encontrou os pais, antes de retornar para a penitenciária.

A irmã de 17 anos que também teria participado do crime não foi ouvida. Em setembro, ela foi absolvida pela Vara da Infância. O Ministério Público entrou com recurso contra a decisão.

O caso
O roubo aconteceu no dia 27 de março. A polícia esclareceu que o crime foi arquitetado por duas filhas do comerciante da cidade, uma de 21 e outra de 17 anos. Primeiro, criminosos armados invadiram a casa do comerciante, fizeram ele e as filhas reféns, inclusive uma outra filha dele, de 14 anos. Eles agrediram a vítima com coronhadas e roubaram o dinheiro que estava no cofre da casa.

Segundo a polícia, a quadrilha foi organizada pelas jovens com os assaltantes em um grupo criado no WhatsApp. As principais provas foram encontradas nos celulares delas. De acordo com a polícia, tudo foi combinado entre as duas e os assaltantes por mensagens.

Em uma delas, um dos criminosos diz que se o pai dela atirasse, ele iria atirar também. “A filha mais velha criou o grupo e era a administradora. Por meio de um amigo dela, ela chamou indivíduos com passagem pela polícia e foi combinado assalto na sua própria casa”, afirmou o delegado Alessander Lopes, na época. A polícia acredita que o roubo foi planejado durante 40 dias.

Segundo as investigações, as jovens mandaram fotos do cofre onde o comerciante guardava o dinheiro. Elas também enviaram um mapa da casa, para facilitar a entrada dos assaltantes. Ainda de acordo com a polícia, na noite do crime a filha mais velha chegou a dopar os cães da família para que não fizessem barulho e ainda incentivou violência contra o pai. Durante o roubo o comerciante levou chutes, socos e várias coronhadas na cabeça.

Segundo a polícia, as jovens disseram em depoimento que cometeram o crime porque o pai teria pegado um dinheiro delas que estava em uma poupança e não queria devolver. Parte dos produtos foi recuperada pela polícia. Os assaltantes e a filha mais velha foram indiciados por roubo qualificado e corrupção de menor. Segundo a polícia, o pai negou que tenha pegado dinheiro das filhas. G1

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password