Roubos em Farmácias e celulares se tornam ‘a bola da vez’

Uma verdadeira onda de assaltos tem colocado as farmácias de Votuporanga como o principal alvo dos bandidos. Entre 21 de março e 24 de abril foram registrados na cidade seis roubos a farmácias, número muito maior em comparação a assaltos ocorridos em outros tipos de estabelecimentos.

Neste ano, segundo levantamento feito pelo Diário, foram roubados 13 estabelecimentos comerciais na cidade. Além das drogarias, os outros assaltos foram em três lojas, uma conveniência de posto de combustível, um restaurante, um escritório de despachante e uma casa de rações.

Para o delegado Márcio Nobuyoshi Nosse, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Votuporanga, as escolhas são aleatórias e não há um motivo principal para a escolha das drogarias por parte dos bandidos.

Apesar da afirmação, ele desconfia que por ficarem abertas de madrugada, as farmácias podem chamar mais a atenção. “Existem bares abertos à noite e durante a madrugada também, mas geralmente são administrados por pessoas do sexo masculino, que intimidam mais. Já as farmácias quase sempre têm balconistas mulheres, que não costumam resistir”, afirma Nosse.

 

Prisões

A maioria dos roubos a farmácia teve a autoria esclarecida. O assaltante, que tinha um pedal de motocicleta escondido sob a roupa para enganar a vítima, se escondeu na fuga dentro do banheiro de uma loja de roupas. Ele admitiu ainda ser o autor do roubo a uma farmácia na noite anterior e também foi reconhecido pela balconista de uma farmácia da Vila Marin, roubada no dia 3.

Outro rapaz de 22 anos, também está preso suspeito de roubar uma farmácia no Bom Clima, dia 24 de abril. Além disso, segundo a acusação, ele teria roubado um notebook em um escritório de despachante, no dia 17. Um cúmplice, que seria o dono da arma usada, também foi preso pelos dois roubos.

O delegado explica que as investigações são complicadas e geralmente os suspeitos, mesmo com todas as evidências, costumam negar qualquer participação no crime. “Estas semanas foram bem produtivas, estamos trabalhando dentro daquilo que podemos fazer”, disse o delegado, que aproveita ainda para fazer os aconselhamentos de praxe a quem venha sofrer um roubo. “Recomendamos para que as vítimas não reajam, mesmo que o assaltante não mostre a arma”, diz Nosse.

Outra onda de assaltos se tornou comum em Votuporanga ten sido os assaltos praticados contra pedestres, o roubo de aparelhos de celular.

Somente nos últimos dez dias, foram sete aparelhos roubados de pedestres na área central de Votuporanga

 

André Nonato

andre.nonato@diariodaregiao.com.br

Da Redação

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password