Família acusa suposto policial militar de agredir jovem morto em Rio Preto

Vítima teria sido agredido por suposto policial e horas depois morreu. Comando da Polícia Militar não confirmou se o agressor é ou não policial.

A família de um jovem de 18 anos que morreu nesta terça-feira (16) acusa um suposto policial militar de ter agredido o rapaz, que estava em frente à casa da namorada dele, no Jardim Soraya, região leste de São José do Rio Preto (SP). A agressão teria acontecido na segunda-feira (15).

A vítima procurou atendimento médico com um ferimento na cabeça. Antes de morrer, a vítima passou por pelo menos duas unidades de saúde e pelo Hospital Ielar. A família conta que os médicos chegaram a suspeitar que o jovem morreu de dengue ou meningite, mas por causa da agressão sofrida pelo rapaz, o corpo encaminhado para autópsia no IML (Instituto Médico Legal).

Os pais dele registraram boletim de ocorrência afirmando que o filho teria sido agredido por um policial. “O policial viu ele na rua com um cigarro de maconha e, exaltado, começou a bater, dar coronhada, pisar na cabeça dele, dar chute nas costas dele. A mãe do policial foi tentar parar a briga e ele a empurrou e falou para não se intrometer. Daí ele apontou a arma para mim e para o meu namorado, ele achou que a gente estava vendendo droga, mas se enganou. Agora meu namorado está morto por causa desse homem e quero Justiça, ele estragou uma família enorme, que amava ele muito”, afirma a moça, que é menor de idade.

O comando da Polícia Militar ainda não confirmou se o agressor é ou não policial e disse ainda que se ele for mesmo um PM, será instaurada uma sindicância. O caso é investigado no 7º Distrito Policial.

A família enfrentou outro problema: a demora na liberação do corpo. Familiares disseram que o corpo foi levado a meia noite para o IML, mas que o plantonista só chegou às 7h desta quarta-feira (17). O IML nega e o corpo já foi liberado. A família diz que esperou por mais de 20 horas para liberação do corpo.

A assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde informou que a vítima passou pela UPA Central na segunda-feira (15) com ferimento na cabeça, mas não quis ficar em observação e foi embora. Uma hora mais tarde, o jovem voltou à unidade onde foi medicado e mais uma vez teria ido embora, sem alta médica. No dia seguinte, a vítima deu entrada na UPA Jaguaré passando muito mal e foi levado pelo Samu ao Ielar. Já o hospital Ielar informou que todos os cuidados foram prestados à vítima, que morreu uma hora depois da internação. G1

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password