Exclusivo: Delegado que cuida do caso Érica descarta a participação de outra pessoa envolvida no crime

A reportagem do votunews.com.br continua passo a passo seguindo as investigações sobre o bárbaro crime que chocou Votuporanga e região: a morte da jovem Érica Diogo de Oliveira Guilherme, ocorrido nas vésperas do Natal.

Estava programada para esta sexta-feira, uma entrevista coletiva com o delegado que cuida do caso para esclarecer os pontos obscuros do crime.

Contudo, afirmando ainda ter algumas diligências a serem feitas sobre o caso, o delegado João Donizete Rossini – titular da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) remarcou a coletiva para segunda-feira, dia 07.

Mesmo não divulgando oficialmente todos os pontos que acercam o crime, Rossini, em contato exclusivo com o Votunews, disse que o latrocínio (roubo seguido de morte) cometido pelo ex-motorista de ônibus de Votuporanga, Wilson Aparecido Rodrigues está praticamente esclarecido.

O delegado descarta, pelo menos por enquanto a participação de uma outra pessoa no crime, e diz que o assassino confesso de Érica agiu sozinho, com o intuito de apenas roubar a vítima.

Rossini disse ainda que as investigações estão sendo feitas de forma criteriosa, levando em consideração o depoimento formal prestado pelo acusado na última quinta-feira, em uma cela separada na Cadeia Pública de Votuporanga.

Vários depoimentos de familiares do assassino e de testemunhas do crime já foram formalizados.

Mais uma vez, o delegado classificou o acusado como sendo uma pessoa fria e calculista, e que cometeu o assassinato apenas porque a vítima poderia reconhecê-lo caso fosse descoberto pela Polícia.

Mas, ao ser questionado pela reportagem de alguns pontos que envolvem o crime e vários boatos que circulam pela cidade, Rossini despistou, dizendo novamente que irá esclarecer tudo na coletiva a imprensa.

Laudo

O delegado da DIG já recebeu informação oficial de que o laudo do Instituto Médico-Legal (IML) sobre os exames necroscópicos ficou pronto, será anexado no processo na próxima segunda-feira.

Também está sendo composto no processo o depoimento formal do acusado e o laudo feito no veículo da vítima, um Palio.

Rossini não adiantou informações contidas no laudo que aponta a causa da morte, o número exato de facadas desferidas contra Érica e se houve algum tipo de violência sexual.

Suspeito

Informação dava conta de que o crime teria a participação de um outro homem não identificado pela Polícia. “Não existe outra pessoa neste crime, que não seja esse maníaco que cometeu essa atrocidade”, finalizou o delegado.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password