Exames importantes para manter a saúde em dia

Já agendou seu check-up anual? O Diário fez uma pesquisa com os profissionais da saúde para ajudar a identificar quais os principais riscos que cada pessoa pode evitar ao investigar órgãos vitais para o corpo. Ultrassonografia, tomografia computadorizada, ressonância magnética, mamografia e densitometria, entre outros exames, auxiliam na prevenção e no tratamento de muitas doenças.

São profissionais de diferentes áreas da saúde – cabeça, olhos, coração, fígado, intestino, e articulações -, que sugerem como forma de garantir uma vida com mais qualidade e saúde. “Como o cérebro está no comando, o check-up preventivo é superimportante para manter a saúde em dia e prevenir doenças indesejáveis, silenciosas e assintomáticas”, afirma, por exemplo, o neurocirurgião rio-pretense Márcio Luiz Tostes, membro da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia e Academia Brasileira de Neurologia.

De acordo com o personal trainer Givanildo Holanda Matias, especializado em fisiologia do exercício pela Universidade de São Paulo (USP), grande parte das doenças na sociedade atual ocorrem por fatores como sedentarismo, excesso de estresse e má alimentação.

“Uma boa alimentação, pobre em sal e em enlatados e rica em vegetais e frutas, associada à atividade física, é a forma mais eficaz de prevenir os males do estômago”, reforça o cirurgião geral Luiz Roberto Kaiser Jr., de Rio Preto, que completa: “Como método preventivo secundário é importante a realização de exames como rotina indicados pelo médico de acordo com a idade, sintomas e histórico pessoal e familiar.”

Olhos

Dentre as doenças mais graves na região ocular está a degeneração macular relacionada à idade (DMRI), principal causa de cegueira na população acima de 55 anos. “Sua prevalência aumenta com a idade, afetando cerca de 8,5 a 27,9% da população maior que 75 anos”, lembra o oftalmologista Carlos Cury, do Hospital do Olho de Rio Preto.

Estudos recentes apontam para aumento de 30% da doença graças ao avanço na expectativa de vida. Para prevenir, é preciso fazer um check-up frequente com um especialista e, além, disso, a prática de exercícios físicos, consumo de frutas, verduras de folhas escuras, peixes (rico em ômega 3), óleo de linhaça e a prática de terapia de reposição de zinco e antioxidantes (vitamina C, E, e beta-carotenos) têm sido efetivas na prevenção da perda visual severa por DMRI.

Os fatores principais de risco são: idade, histórico familiar, exposição ao fumo, hipertensão arterial, obesidade cor clara de íris, exposição ocular à luz e consumo de álcool.

Coração

A doença cardíaca é a principal causa de morte no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). “Pode ser evitada com a adoção de atitudes simples como reeducação alimentar, atividade física regular, manutenção do peso corpóreo, controle de níveis pressóricos (pressão arterial) e controle do estresse diário, além, é claro, de uma avaliação cardiológica periódica”, diz o cardiologista Oswaldo Tadeu Greco, de Rio Preto.

O médico é quem vai indicar a realização de exames de sangue (glicose, colesterol total e frações, e triglicérides, entre outros), de forma periódica. Além disso tudo, o teste ergométrico é importante, bem como um eletrocardiograma de repouso e um ecocardiograma bidimensional.

Articulações

Doenças que envolvem as dores nas juntas, em especial artrite reumatoide, é uma das dores reumáticas que mais afetam as pessoas acima dos 60 anos e chegam a alcançar cerca de 80% dos idosos acima dos 75 anos. “Mulheres têm aproximadamente o dobro de propensão em comparação com os homens e, nas mulheres negras, dobra o risco de artrose no joelho quando comparadas com brancas”, diz a reumatologista Vicenzina Santangelo, de Rio Preto.

Daí a relevância de se submeter a um exame preventivo de densitometria óssea, que avalia a densidade óssea de todo o corpo, permitindo assim intervenção antes que doenças como fibromialgia, osteoporose e outras se instalem. Além dos exames laboratoriais, as radiografias também mostram alterações progressivas nas juntas, como a diminuição do espaço das articulações por degeneração da cartilagem e formação de ósteofitos, crescimento ósseo e cisto ósseo.

Quanto antes começar a se precaver, melhor. Até porque uma pesquisa inédita realizada em 42 países, incluindo o Brasil, com mais de 10 mil pacientes de artrite reumatoide concluiu que o diagnóstico demora até 4 anos. A artrite exige cuidado constante, somente 3 em 5 pacientes compreendem o caráter degenerativo da artrite reumatoide e que a doença pode afetar outras partes do organismo, além das juntas.

Cabeça

“O check-up neurológico pode diagnosticar precocemente doenças cerebrovasculares, disfunções cognitivas, demências vasculares, degenerativas, como doença de Alzheimer, riscos de aneurismas cerebrais e acidente vascular cerebral (AVC)”, afirma o neurocirugião Marcio Luiz Tostes, de Rio Preto. Neste caso, é preciso fazer um estudo minucioso, que começa com a entrevista do paciente (anamnese), avaliação clínica, neurológica (investigar as funções cognitivas do paciente) e testes neuropsicológicos.

Em algumas profissões, como a de piloto, por exemplo, a ressonância magnética e o eletroencefalograma são exames solicitados logo na primeira avaliação. Em outros, vai depender de fatores como faixa etária, sexo, e histórico familiar, que indica casos de AVC. A ressonância e a angiorressonância também são solicitadas no check-up.

Em outros tipos de patologias neurológicas específicas, do paciente ou mesmo de um tio ou pessoa com grau de parentesco como ataxia hereditária, leucodistrofias e doença de Huntington, a investigação genética pode ser fundamental. Em poucas horas, o check-up fornece análise clínica e diagnóstico preciso para prescrição de tratamento seguro, quando diagnosticada alguma disfunção.

Estômago

Os sintomas das doenças do estômago são variados, sendo o mais relatado a sensação de queimação eventual de gastrites. “A dor abdominal relacionada a alimentação ou ao jejum pode ser o sinal da presença de úlceras e até tumores”, explica o médico Luiz Roberto Kaiser Jr., de Rio Preto. Se houver sangramento, dor contínua, e emagrecimento, é hora de procurar ajuda.

O ideal é que o paciente procure o especialista para que ele recomende uma endoscopia para identificar a presença de qualquer alteração no estômago. Constatada alguma alteração, é indicada uma biópsia para confirmar o diagnóstico, com aparelhos de alta definição e que permitem ampliações de áreas específicas (como uma lupa) e colorações especiais para se contrastar lesões minúsculas que podem ser cânceres em fase inicial. Uma endoscopia permite diagnosticar tumores em fase inicial e promover o tratamento definitivo (em casos selecionados), através de uma cirurgia endoscópica.

 

Cecília Dionizio – Diário da Região

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password