Ex-morador de Fernandópolis é absolvido por furto de calcinhas

Um ex-morador de Fernandópolis foi absolvido por furto de calcinhas de uma vizinha, crime ocorrido há um ano e meio. 

O homem que admitiu ter furtado mais de 20 calcinhas do varal da vizinha foi absolvido por ser considerado crime de bagatela. Foi o mesmo entendimento do furto feito Piracaia, cerca de 100 km da capital.O TJ SP aplicou o chamado princípio da insignificância para absolver o autor do furto, alegando que o autor do crime não aferiu vantagens econômicas com o furto das peças. Não cabe recurso. 

A autoria do delito foi descoberta porque o a vítima, cismada com o desaparecimento das calcinhas, instalou uma câmera que flagrou-o subtraindo algumas peças. O homem admitiu ter realizado dois furtos e acabou condenado, em decisão de primeira instância, a um ano de reclusão, além de multa de um salário mínimo, pena substituída por prestação de serviços comunitários. 

O entendimento para estes casos inclui que “a coisa furtada sequer pôde ser avaliada consistindo em peças íntimas usadas, de irrisório valor econômico para o comércio. Assim, nem sequer se há de cogitar de furto privilegiado, pois o valor monetário de que se trata não é pequeno; é inexistente. 

A questão jurídica, aqui (quando menos se considerada do ponto de vista econômico), possivelmente usaria as peças para se masturbar. 

EthosOnline

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password