Espelho, Espelho Meu: a Tendência é Ser Feliz!

Mulheres gordinhas mostram que o tormento pela busca do corpo perfeito está passando; comércio de roupas plus size cresce em Votuporanga 

“Alguém mais bela que eu? Acho que existe, sim. Já alguém mais confiante, vai ser difícil de encontrar,” comentou a sorridente profissional em beleza e gordinha assumida, Lidiane Criado de Lima, de 33 anos.

Os padrões de beleza estão em constante fase de mudança. Por vezes com o cabelo liso e escorrido, outras tantas com cachos grandes e volumosos; enquanto alguns tentam se adequar, outros percebem que é impossível se adaptar, pois quando se atinge tal tendência a mesma já não está mais na moda, ultrapassada.

As unhas, antes longas e escuras, estão curtas e claras. Das gostosonas às sequinhas: os mais variados biótipos serviram de inspiração e estamparam armários adolescentes.

O único período em que não existiu um padrão dominante foi na Idade Média. Mas essa fase, em que as mulheres viveram de bem com seus espelhos, não durou muito. Durante o renascimento, voltou a imperar o ideal greco-romano de beleza, que elegeu o equilíbrio das formas como um objetivo a ser alcançado. Nada de mais, e nada de menos, apenas o necessário. E assim foi dada a largada para os regimes, cirurgias plásticas e distúrbios alimentares.

Padrão
De acordo com a psicóloga Narcilene Barbosa, existem psicopatologias ligadas à preocupação excessiva com a beleza, o que justifica o aumento da preferência por cirurgias plásticas. “O que se observa é que o padrão de beleza vai mudando ao longo dos anos e em razão da sociedade em que se está inserido, ou seja, o conceito de beleza nunca foi algo estático. Hoje esse padrão é influenciado pela mídia, cada vez mais presente no cotidiano das pessoas e atualmente, as relações entre as pessoas estão cada vez mais efêmeras, sendo a aparência, a impressão física, um importante elemento de julgamento nas interações sociais”, disse a psicóloga.

Sinônimo de felicidade?
A guerra está declarada contra a natureza que criou rugas, celulite, gordurinhas e inconvenientes. Assim, na corrida exagerada pelo corpo perfeito, o indivíduo acaba praticando exageros e se torna refém de métodos rápidos que possam dar a ele o tão desejado padrão de beleza.
“Sou feliz do jeito que eu sou, tentei fazer regimes e só deu errado. Tudo o que eu posso fazer é continuar sendo feliz”, revela Lidiane. Indignada, ela questionou “quem em sã consciência disse que padrão de beleza é sinônimo de felicidade? Sou feliz com meu corpo e me amo do jeito que eu sou,” acrescenta a cabelereira.

Plus Size
Em Votuporanga, o número de lojas de roupas para mulheres com manequim acima dos 46 cresce significativamente. Claudia Rossini é vendedora na loja de Thatiana Pessuto Riva. “O número de clientes é realmente grande,” disse a vendedora, emendando: “criamos um vínculo aqui na loja e isso faz toda diferença.”
Ela explicou também que, como vendedora, é uma ótima consumidora. “Meu salário fica boa parte aqui dentro, porque gosto de verdade do produto que tenho que vender,” garantiu.
Foi levantada a questão da inovação no comércio de moda para as gordinhas. Segundo a proprietária Thatiana, há alguns anos era quase impossível encontrar roupas com estampas, estilos e modelos diferenciados. “Hoje, estamos com mais opções e qualidade”, finaliza a empresária. (Colaborou: Mateus Paióla) /Diário de Votuporanga

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password