Escolas são alvos de invasões e furtos

Na semana comemorativa do Dia Nacional do Livro (28), as escolas de Rio Preto vêm sofrendo com invasões e furtos na rede de ensino. Em quatro dias, três escolas foram alvos de criminosos.

São vários tipos de furto registrados no ano, desde alimentos estocados para a merenda, equipamentos utilizados pelas crianças e estudantes, computadores, televisores, e fiação elétrica. Na maioria dos casos, os marginais invadem as unidades escolares no período noturno ou nos finais de semana, quando elas estão fechadas.

O último registro de invasão aconteceu na madrugada de terça-feira (23) na Escola Estadual Prof. Yvete Gabriel Atique, no bairro Eldorado. Cerca de 400 alunos, do 6º ao 9º ano do ensino fundamental ficaram sem aula ontem por causa do furto de 15 torneiras de água e parte da fiação elétrica.

Para entrar no local, os indivíduos quebraram parte do alambrado que cerca a escola. Além das torneiras dos bebedouros, portas foram arrombadas, mesas e outros objetos quebrados. A polícia analisa as imagens do circuito de segurança da escola e tenta identificar os suspeitos.

Em nota, a Diretoria de Ensino de Rio Preto lamentou o “ato de vandalismo” na escola Yvete Gabriel Atique. “O caso já foi relatado à polícia. As aulas foram suspensas para que sejam feitos os reparos na escola, e devem ser retomadas nesta quarta (24). Todo conteúdo pedagógico será reposto”, explica comunicado.

Mais invasões
No final de semana, duas escolas municipais também foram invadidas. A primeira ocorrência foi na Escola Municipal Antônio de Sousa, no Residencial Caetano. Um homem foi preso em flagrante por furto qualificado.

A Guarda Municipal foi acionada pelo sistema de segurança, após o disparo de alarme da escola e, viu o ladrão carregando um saco com objetos. O homem largou tudo para trás e tentou fugir pulando o muro, mas foi capturado. No saco tinha um liquidificador industrial e um espremedor de frutas. Um ventilador que tinha sido arrancado do teto estava jogado no chão da escola.

Outra unidade de ensino alvo de marginais foi a Escola Infantil Dr. Adelício Teodoro, no Jardim Nunes. O circuito interno de câmeras registrou a ação do ladrão. Quando os agentes da GCM chegaram ao local, o homem conseguiu fugir ao pular muro da instituição e correr por um matagal sem levar nada.

Câmeras e alarmes
Nem mesmo a instalação de câmeras e sistemas de alarme nas escolas de educação infantil e fundamental tem inibido a ação dos invasores nas instituições de ensinos. O número de registro continua alto, tanto é que a Prefeitura de Rio Preto estuda reimplantar o projeto de vigias nas escolas (leia texto nessa página).

A Guarda Civil Municipal, que tem entre suas atribuições zelar pelos prédios do município, o que inclui creches e escolas, realiza rondas ostensivas nas proximidades das unidades e a prova disso é que, com frequência, detém ladrões de fiação elétrica e equipamentos. Mas o número de casos ainda é grande.

A secretária de Educação, Sueli Costa, reconhece os registros de casos de invasões nas escolas municipais, mas destaca programa integrado de segurança para coibir a ação dos invasores. “Passamos a contar com a ação de vigilantes motorizados, câmeras nas unidades e reforçamos os sistemas de alarmes, inclusive com a integração à central de monitoramento. Esse programa já vem mostrando resultado, tanto que duas invasões foram frustradas no último final de semana”, explica

0 Comentários

Deixe um Comentário

dois × 1 =

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password