Entidades de Rio Preto vão receber R$ 2,5 mi por descarrilamento

Indenização comunitária foi definida em reunião no Ministério Público. Pelo menos 70% deste valor deve ser pago no ano que vem.

O descarrilamento que matou oito pessoas em São José do Rio Preto (SP), maior tragédia em ferrovias do país, completa um ano na semana que vem e vai custar à concessionária que administra a linha pelo menos R$ 10 milhões. Um terço dessa quantia já está sendo pago às famílias que perderam parentes e, outra parte, R$ 2,5 milhões vão para entidades de Rio Preto, numa indenização comunitária. O valor e a forma com que será pago foram definidos nesta quarta-feira (19), durante uma audiência.

A reunião foi no gabinete da promotoria e representantes da América Latina Logística (ALL), concessionária que administra a linha, do Ministério Público e da Defensoria Pública passaram duas horas conversando as portas fechadas. A negociação terminou com a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta, em que a ALL se compromete a pagar uma indenização coletiva por danos morais, por causa do acidente que matou oito pessoas, em novembro do ano passado.

“Houve uma grave agressão à comunidade e ela precisa ser reparada. A reparação nesse caso, como não é possível trazer de volta as pessoas, é possível pagar um valor que se reverta em benefícios para a comunidade”, afirma o defensor público Júlio Tanone.

O valor a ser destinado às entidades é de R$ 2,5 milhões, que devem ser pagos em 18 meses. Além disso, a ALL fica responsável pela contratação da equipe técnica que vai realizar os trabalhos.  Grande parte deste valor, pelo menos 70%, deve ser pago no ano que vem e parte dessa indenização vai ser destinada ao Hospital Ielar.

Um representante da empresa deu entrevista, pela primeira vez, depois do acidente. “As indenizações das famílias já estão 98% quitadas, por meio da câmara de conciliação. Teve um valor total de R$ 3 milhões”, diz Pedro Roberto Almeida, diretor de relações institucionais da ALL.

O descarrilamento, que teve repercussão nacional, completa um ano na próxima segunda-feira (24). Vagões carregados com milho saíram dos trilhos e atingiram duas casas, no Jardim Conceição, em Rio Preto. Das oito pessoas que morreram, duas eram crianças, e outras cinco ficaram feridas. No último fim de semana, moradores protestaram e pediram a retirada da ferrovia da cidade.

Segundo a ALL, as famílias das vítimas estão sendo indenizadas. Para evitar outros acidentes, a empresa diz que vem investindo em melhorias na malha férrea. Segundo representantes, a concessionária já desembolsou quase R$ 5 milhões com as obras. “Tem obras de segurança, de melhorias de segurança, junto com a defensoria publica, e todas elas foram executadas”, diz Almeida. G1

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password