Empresário é condenado a 4,5 anos no regime semi-aberto

O empresário E.J.M., de Álvares Florence, foi condenado a quatro anos e meio de prisão no regime inicial semi-aberto por receptação de cargas roubadas de algodão. A sentença foi publicada ontem pelo Tribunal de Justiça do estado de São Paulo.

 

Também foram condenados M.F.S. (três anos, regime aberto) e V.R.C (três anos, convertidos em pagamento de 10 salários mínimos de indenização às vítimas).

 

Outros dois denunciados foram absolvidos. Todos os envolvidos também foram inocentados do crime de formação de quadrilha.

 

Na sentença, o juiz Sergio Martins Barbatto Júnior analisou detalhadamente a conduta dos e réus. Entre outros pontos, ele citou as contradições nos depoimentos. Todos os acusados que estavam presos foram colocados em liberdade.

 

Caso

 

Policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Votuporanga e de Álvares Florence, sob o comando dos delegados Antonio Marques do Nascimento e Márcio Nobuyoshi Nosse, recuperaram duas cargas de cerca de 280 fardos de plumas de algodão, tendo como vítima uma empresa de Itumbiara, em Goiás.

 

Durante o roubo os motoristas foram amarrados no interior da cabine do caminhão, e os assaltantes acoplaram outros cavalos nas carretas e fugiram com as cargas de algodão. Cientes do roubo, e em razão de já estarem investigando o empresário, que possui uma algodoeira na estrada vicinal que liga aquela cidade à Votuporanga, policiais compareceram na sede da empresa onde encontraram os veículos, um deles inclusive no nome da filha do empresário, e os produtos do roubo.

André Nonato

andre.nonato@diariodaregiao.com.br

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password