Empresário de Rio Preto do ramo de vendas pela internet é preso em operação da PF

Policiais federais de Jales/SP cumpriram seis mandados de busca e apreensão e três mandados de condução coercitiva na deflagração da Operação Boolean, que tem como objetivo combater o comércio de produtos falsificados e de origem duvidosa comercializados em sites de compra e vendas da internet. Quatro endereços em Jales, um em São José do Rio Preto e outro em Fernandópolis foram alvos das buscas. As vendas eram realizadas para todo o Brasil via internet. Estima-se que nos últimos anos mais de 200.000 (duzentas mil) vendas foram concretizadas pela empresa.

Em Jales, os federais cumpriram os mandados nas casas dos empresários, que são irmãos, e também na sede e no depósito da empresa. Em Fernandópolis, as buscas foram em uma loja de informática dos empresários. Em Rio Preto, uma sala comercial no centro foi o alvo. A empresa comercializava produtos eletrônicos, especialmente de informática, pela internet. Os produtos eram embalados em Jales e despachados, via Correios, de São José do Rio Preto/SP para todo o Brasil.

A.C.J., 27 anos e sua irmã, F.C., de 28 anos, utilizavam, além da página da empresa nainternet, um famoso site de compra e venda para a comercialização dos produtos. Além dos irmãos, a esposa de A.C.J. e a mãe dele também figuravam como sócios das empresas administradas por ele.

Em Fernandópolis, os irmãos abriram uma loja física que revende produtos de informática. Em diligência velada ao local, os federais confirmaram que os produtos comercializados também tinham procedência duvidosa, pois funcionários afirmaram que não poderiam emitir notais fiscais de notebooks eventualmente comercializados. Vários produtos eletrônicos foram apreendidos neste local na data de hoje.

Os produtos eram anunciados na internet como originais, porém, análises dos fabricantes confirmaram que alguns deles eram falsificados. Centenas de etiquetas de marcas famosas foram apreendidas na sede da empresa localizada no distrito industrial de Jales. Produtos já etiquetados com selos de marcas famosas e encomendas prontas para envio aos consumidores também foram apreendidas no local.

Os irmãos foram presos em flagrante delito pelo crime de descaminho e também estão sendo investigados pelos crimes de associação criminosa, lavagem de dinheiro, crime contra a relação de consumo (falsificação de produtos) e sonegação fiscal. Eles foram conduzidos à sede da Polícia Federal em Jales para serem ouvidos pelo Delegado Federal Cristiano Pádua da Silva, responsável pelas investigações.

Os produtos apreendidos desacompanhados da documentação de importação legal serão encaminhados à Receita Federal e os produtos com autenticidade duvidosa passarão por perícia criminal assim como os computadores da empresa.

RPR Mais

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password