Diretoria faz acerto e fecha as contas com o elenco

Segunda-­feira e ontem foi de pagamentos e despedidas; gerente de futebol afirma interesse do clube em 15 atletas do grupo para A2

A segunda-­feira (1º) e ontem foram de acertos e despedidas de jogadores do Clube Atlético Votuporanguense. Como nesse ano o time não disputa mais competições oficiais, como a Copa Paulista por exemplo, que no ano passado movimentou o futebol da cidade no segundo semestre, os jogadores estão sendo desligados oficialmente e todos os acertos financeiros devem ser concretizados até o dia 15 deste mês.

Parte do dinheiro depende da premiação pelo vice-­campeonato, que será destinado pela Federação Paulista de Futebol. Segundo o gerente de futebol da Votuporanguense, Anderson Negrini, apenas três jogadores, inicialmente, continuam com contratos com o clube. São eles o goleiro Cairo e os laterais Douglas e Souza, que permaneceram na reta final da Série A3 no Departamento Médico e vão passar por cirurgia.

De acordo com Negrini, o assunto de renovação com jogadores não é mencionado, pois depende do acerto com a comissão técnica que vai comandar o time na A2 de 2016. Entretanto, sabe que há jogadores que estavam apalavrados para acertarem com outros clubes há cerca de um mês, e mesmo com interesse do CAV, devem estar de saída garantida.

Do elenco que disputou a A3, Negrini aponta que o CAV pretende renovar com 15 jogadores, mas não revelou nomes, já que o assunto depende da formação da comissão técnica. Entretanto, há jogadores que manifestaram interesse em renovar com a Votuporanguense, mesmo que para serem emprestados para outros clubes.

Um deles é Victor Palito, que se estabeleceu com a família em Votuporanga, e diz que, mesmo que jogue em outro clube, pretende manter residência na cidade se for emprestado, para em 2016 estar à disposição do CAV. Atletas em situações semelhantes são o zagueiro Paulo Henrique, da cidade de Cardoso, e o volante Victor Hugo.

Série A3

A Série A3 do Campeonato Paulista se encerrou no domingo (31) com o Taubaté campeão após vencer a Votuporanguense por 4 a 0. A quantidade de gols na final foi a comprovação do que os torcedores viram nos gramados durante os quatro meses de torneio. Excluindo os quatro jogos não realizados em virtude de W.O. O campeonato teve média de 2,53 gols por partida, maior que o Paulistão Itaipava 2015 –Série A1, que teve 2,37.

Mesmo fora da final, o Juventus foi quem teve a melhor campanha. Com 50 pontos somados em 25 jogos, o time da Mooca obteve 66,6% de aproveitamento. A equipe grená também teve o melhor ataque, com 52 gols e uma média de 2,08 por partida. Por pouco o time também não terminou com a melhor defesa, mas a média de 0,88 gols sofridos por partida foi maior do que a da Itapirense eliminada na primeira fase com 16 gols sofridos em 19 jogos e média 0,84. Destaque como mandante também para a Votuporanguense, que foi a única a terminar a Série A3 invicto dentro de casa. Jociano Garofolo/A Cidade

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password