DIG de Votuporanga esclarece caso de “saidinha de banco”

A Delegacia de Investigações Gerais de Votuporanga esclareceu um crime de “saidinha de banco” cometido na primeira semana deste mês. Duas pessoas foram presa e parte do dinheiro roubado e aparelhos celulares foram devolvidas a vítima.

Segundo informações do delegado Márcio Noboyoshi Nosse, o esclarecimento foi possível em decorrência de um fato inusitado. ” A vítima foi até a cidade de Macaubal assistir uma partida de futebol e reconheceu um dos autores na torcida e procurou a polícia”.

Um dos autores foi identificado e a vítima fez reconhecimento fotográfico, em seguida o comparsa do autor foi reconhecido. Ambos também foram reconhecidos pessoalmente pela vítima.

“Foi instaurado um inquérito policial para investigar o caso e os dois indivíduos foram identificados. Ambos residiam em Macaubal. Então foi feito o pedido de de prisão preventiva que foi expedito pela 5ª Vara de Votuporanga” diz o delegado

Os autores, F.F.L, de 29 anos, e L.H.S, de 25 anos, foram presos e encaminhados para cadeia pública local. Dos R$1,6 mil roubados, a polícia recuperou em torno de R$300 e os aparelhos celulares da vítima.
O caso

Na época do delito, a vítima relatou que foi até uma agência bancária na área central da cidade e realizou um saque de R$1,6 mil e ai deixar o banco foi abordada por dois homens , que, por meio de ameaças, roubaram-lhe todo o dinheiro e celular. A Polícia Militar foi acionada e passaram a fazer patrulhamento pela cidade, mas ninguém foi detido.
Desdobramento

Após a prisão dos dois acusados de roubo, autores negaram que praticaram um assalto, mas que aplicaram um golpe na vítima.
Conhecido popularmente como “golpe do paco”. Esta ação normalmente é praticada por duas pessoas. Os estelionatários observam uma vítima que saque uma boa quantia em dinheiro em uma agência.

Na tarde do golpe em Votuporanga, assim que a vítima deixou a agência, um golpista foi à sua frente e deixou um envelope cair. O outro golpista que vinha logo atrás se apoderou do envelope e sugeriu rachar com a vítima aquela quantia.
Então o golpista alegou estar com pressa e pediu a vítima que lhe entregasse a quantia sacada com garantia e assim ele ficaria com o envelope.
A vítima assim fez e entregou os R$1,6 mil. Logo depois percebeu que o “pacote” de dinheiro, era nada mais do que uma nota de R$50 presa a vários pedaços de jornais.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password