Diferentes atividades podem trazer bem-estar e relaxar

Estresse, correria e uma série de outras queixas tem sido comum na população em qualquer parte que se vá. Poroutro lado, nunca se teve tantas opções para contrabalançar a vida, com alternativas para se equilibrar o ritmo e tornar a vida bem mais leve. Definido como epidemia global pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o estresse é um dos maiores causadores de doenças crônicas nos dias de hoje. Inclusive, recentemente, até a Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (Sobed) fez um alerta sobre o elevado número de pessoas vítimas de gastrite.

A doença é uma das principais desencadeadas em pessoas que trabalham sob pressão, rotina cansativa e traumas. De acordo com o gastroenterologista Gustavo Andrade de Paulo, da Sobed, isto pode resultar em uma gastrite ou até mesmo numa úlcera (gástrica ou duodenal), dependendo do período de exposição e de estresse. “Quando a pessoa está em estado de estresse, o estômago aumenta a liberação de ácido clorídrico (HCl), que pode resultar no problema, dependendo do período de exposição e de estresse.”

Outros estudos tem apontado o risco de infarto, principalmente em mulheres. Uma vez, que de acordo com os estudos, o estresse no ambiente de trabalho pode elevar em até 40% o risco das mulheres infartarem. E isto se complica ainda mais, quando não se pratica atividade física, a alimentação não é balanceada e pior, se houver a combinação de cigarro e uso de anticoncepcionais.

Para o cardiologista Maurício Jordão, do Núcleo de Cardiologia do Hospital Samaritano, de São Paulo, a situação se complica entre elas, porque o infarto pode ser silencioso, e nem sempre gera a típica dor no peito e o mal estar – sintomas característicos do infarto nos homens. Mas tudo isto, pode ser revertido, com a mudança de hábitos, o controle dos fatores de risco e adotar atividades que combatam o estresse – é o primeiro passo para evitar o problema.

O médico lembra que os sintomas típicos mais conhecidos do infarto são dores no peito, que se estendem para o braço esquerdo, e formigamento. No entanto, outros sinais podem indicar o princípio da doença, como dor abdominal, suores frios, palidez, náuseas e vômitos. “Em mulheres, a incidência dos sintomas típicos é menor”, afirma.

 

Cecília Dionizio – Diário da Região

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password