Delegado ouve trio que jogou bomba no plantão

O delegado titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Fernandópolis, Gerson Donizete Piva, ouviu ontem os três jovens de Rio Preto e Mirassol que divulgaram um vídeo em que aparecem jogando um explosivo na frente da Central de Flagrantes da cidade. O vídeo, divulgado pelo aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp, chegou até às mãos da Polícia. Após receber o vídeo, a delegada Eda Honorato, responsável pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Fernandópolis, registrou boletim de ocorrência sobre a ação gravada na madrugada do dia 4 deste mês. Os acusados são Miguel Antônio da Cunha Neto, de 21 anos, Ivan Maia da Silva, 25, e Lucas Antônio da Cunha, 23, que responderão pelos crimes de explosão em patrimônio público, incitação ao crime (pela postagem do vídeo na internet), associação criminosa e crime contra a honra. A pena pode chegar até 10 anos de prisão. O Diário tentou contato com o delegado da DIG que não foi localizado até o fechamento desta edição.

Ofensa

Para a delegada da Mulher, foi uma ofensa para a toda Polícia Civil. “Quando recebi o vídeo não sabia quando tinha acontecido. Fui investigar e descobri que soltaram a bomba na noite do dia 4. Os jovens teriam vindo a Fernandópolis para um show sertanejo em uma casa noturna”, disse ela. Eda afirmou que ao analisar o vídeo, não teve dúvidas sobre a autoria. “Na rede social, eles (suspeitos) postaram uma imagem de que estariam na apresentação em Fernandópolis. Na gravação, também falaram seus nomes e apelidos. Com essas informações, registrei o boletim de ocorrência e encaminhei para a Delegacia Seccional”, afirmou a delegada. O trio não tem passagem pela polícia. Os peritos da Polícia Científica tema até segunda-feira para apresentar o laudo do vídeo

Luciano Moura
luciano.moura@diariodaregiao.com.br

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password