Critério de seleção é por ordem de chegada

Não haverá sorteio desta vez; “Mas não precisam se desesperar”, pede o prefeito, emendando que em breve serão anunciadas novas casas

Da Redação
A Prefeitura de Votuporanga promoveu ontem uma entrevista coletiva para informar sobre o primeiro bairro planejado da cidade, construído pelo Grupo Pacaembu, em parceria com a Caixa Econômica Federal e Prefeitura.

O Residencial Vida Nova contará com 575 casas, que se enquadram no programa Minha Casa, Minha Vida 2, do Governo Federal, destinadas a famílias com renda mensal familiar comprovada a partir de R$ 1.600,00 até R$4.300,00. O interessado poderá contar com o subsídio de até R$ 13.735,00, além da possibilidade de utilizar recursos do FGTS para quitar a dívida do financiamento.

O residencial se enquadra nos quesitos propostos pelo governo federal, porém a iniciativa é da empresa Pacaembu em parceria com a Prefeitura e com financiamento da Caixa Econômica Federal, ou seja, não é um projeto de casa popular.

Anúncio oficial
Na tarde de ontem foi realizado o anúncio oficial do Residencial, e estiveram presentes: o prefeito de Votuporanga, Junior Marão; o vice-prefeito, Waldecy Bortoloti; Carlos Augusto Figueiredo Bronca, gerente regional de governos e judiciário da Caixa Econômica Federal; Jorge Augusto Seba, secretário municipal de Desenvolvimento Urbano; e Wilson de Almeida Junior, diretor comercial do Grupo Pacaembu, além de vereadores.

Residencial
O residencial Vida Nova será construído na Zona Oeste da cidade, próximo ao segundo distrito industrial. A iniciativa parte da empresa de construção que analisa o município verificando o IDH Índice de Desenvolvimento Urbano, investimentos públicos em qualidade de vida, força do comércio e da indústria.
“Depois de feita esta triagem, partimos junto à Prefeitura na tentativa de angariar fundos dos recursos públicos através da Caixa Econômica Federal,” explicou o diretor comercial da Pacaembu, Wilson de Almeida Junior, que ressaltou também que mesmo diante de reclamações levantadas em outros empreendimentos imobiliários, “estamos trazendo o que há de melhor para Votuporanga em termos de construção civil.”

Cinco anos
Mesmo diante da cobrança dos vereadores, Wilson reafirmou o compromisso de garantia do imóvel pelos seguintes cinco anos após a entrega. “Independente de qualquer problema na estrutura, por parte de responsabilidade da Pacaembu, estaremos à disposição para sanar tais conflitos” explicou o diretor.

Estrutura
As casas contaram com infraestrutura completa com rede de energia elétrica, abastecimento de água potável, rede coletora de esgoto sanitário, galeria de águas pluviais, pavimentação asfáltica, guias, sarjetas, paisagismo, passeio público, iluminação pública e acessibilidade.
As disposições totais serão de 45,47 m² com sala, banheiro e cozinha com azulejo, dois dormitórios, laje, piso cerâmicos e área de serviço coberta. O investimento total deste empreendimento é de cerca de R$ 57.494.250,00 e a área do terreno é de 214.336,00 m². Cada terreno residencial será composto por casas térreas não geminadas, com em média 162 m² cada.

Valor
O preço bruto da casa é de R$ 99.999 e a prestação não pode ser maior que 30% da renda familiar mensal. O salário-família máximo aceito será de R$4.300,00. O valor da mensalidade vai ser analisado de acordo com a entrada no imóvel e a renda mensal, mas vai girar em torno de R$ 500,00.
“Lembrando que a mensalidade é decrescente, começa num valor considerável e diminui com o tempo,” explicou Carlos Bronca, representante da Caixa, que lembrou que o prazo financiado será no máximo de 360 meses.

Ponte
Segundo o prefeito Junior Marão, será construída com recursos públicos do governo estadual uma ponte na vicinal que liga Votuporanga a Parisi. O dispositivo vai atravessar um córrego ligando o loteamento ao segundo distrito industrial.
Marão comentou também o que já foi abertamente divulgado pelo Diário, sobre a construção do poço profundo da SAEV também naquela região.
“Estamos conectando e derrubando barreiras na cidade, atravessando as fronteiras e ligando todos os pontos. Isso é uma cidade de primeiro mundo,” afirmou o prefeito Junior Marão.

Das inscrições 
O atendimento às pessoas que pretendem se inscrever para adquirir o imóvel será do dia 13 (sábado agora) a 21 de junho, inclusive aos sábados e domingos, na Concha Acústica Professor Geraldo Alves Machado das 9h às 17h.
Cabe informar que não haverá sorteio desta vez. Os interessados serão contemplados por ordem de chegada. “Mas não precisam se desesperar”, pede o prefeito, emendando que em breve serão anunciadas novas casas.

Da seleção 
São exigidos documentos originais como RG, CPF ou CNH, comprovante de residência (conta de água ou energia), comprovante de Estado Civil, Carteira de Trabalho, extrato do FGTS atualizado e os últimos 3 holerites.
Profissionais liberais, autônomos e empresários devem apresentar uma cópia do imposto de renda com o protocolo de entrega à Receita Federal ou dos extratos bancários dos últimos três meses. Aposentados necessitam do último extrato do INSS e não-assalariados, os 3 últimos extratos bancários.
É impossibilitado de se inscrever no financiamento quem tiver restrições ou que possua outros financiamentos imobiliários. Também fica recluso quem tiver terrenos registrados no próprio nome.

Dos prazos 
As obras serão iniciadas em agosto e, segundo o prefeito Junior Marão, 18 meses é o prazo máximo para a entrega. “Lembrando que este tempo pode variar para mais e para menos, de acordo com as condições climáticas e outras variantes internas e externas, que podem adiantar ou até mesmo atrasar tal prazo,” explicou o diretor comercial do Grupo Pacaembu, Wilson de Almeida Junior.

Oferta e demanda 
“Estamos preparando uma Votuporanga para o futuro,” disse Marão, em entrevista exclusiva ao Diário, questionado sobre as medidas que vem tomando em sua administração no quesito moradia.
Ele explica que a demanda aqui na cidade é realmente alta. “Melhoramos a saúde, a educação, o transporte e a qualidade de vida. Isso atrai cada vez mais pessoas para Votuporanga,” explicou Marão.
Para ele, a ‘atração’ que as pessoas sentem por Votuporanga misturada à baixa oferta de moradias faz com que os alugueis fiquem realmente altos. “Comprar um imóvel ou alugar está cada vez mais caro. A valorização imobiliária é a mais forte prova do que viemos fazendo no meu mandato.”
Boiler – Grupo Pacaembu
O Grupo Pacaembu atua há mais de 20 anos na construção de empreendimentos residenciais de interesse social, contemplados no programa Minha Casa Minha Vida do Governo Federal. O portfólio de obras abrange mais de 40.000 unidades habitacionais, incluindo imóveis já entregues e em construção em cidades como São José do Rio Preto, Sorocaba, Campinas, Catanduva, Botucatu, Avaré, Marília, entre outras. O Grupo Pacaembu figura entre as maiores e melhores empresas do Brasil. Em 2014, conquistou o 3° lugar no ranking do setor de Empreendimentos Imobiliários do anuário “Valor 1000” – considerado o mais importante indicador da elite corporativa do Brasil.
O Grupo Pacaembu passou a figurar também no anuário “As Melhores da Dinheiro”, da revista Isto é Dinheiro. Além de compor a carteira das 1000 maiores empresas do Brasil, conquistou o 3° lugar entre os melhores da categoria Setor Construção Imobiliária – Capital Fechado. A sustentabilidade financeira da construtora, as práticas de gestão e recursos humanos e os investimentos em inovação e qualidade foram determinantes para a seleção neste ranking.

Prêmio ITC 2015
O Grupo Pacaembu conquistou a 36ª posição entre as 100 maiores construtoras do Brasil. O ranking demonstra ao mercado as construtoras que mais se destacaram no ano em metros construídos, no segmento e na região do Brasil que mais atuaram. (Colaborou: Mateus Paióla)/Diário de Votuporanga

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password