Divisa de córrego de fazenda pode ter sido o motivo de briga entre o médico Drº Hedilon e acusados de assassinato

O motivo da briga em que resultou no brutal assassinato do oftalmologista votuporanguense Hedilon Basílio Silveira Junior, 50 anos, na noite da última terça-feira, seria a demarcação das terras de sua propriedade rural, com cerca de 35 alqueires e arrendadas de seus vizinhos, os principais suspeitos pelo crime. Nenhum dos acusados foi localizado até o momento pela Polícia Civil de General Salgado

O médico foi assassinado com golpes de facão e tiros em seu sítio, localizado no distrito de Prudêncio e Morais, em General Salgado. Os suspeitos e a vítima vinham em conflito há cerca de um ano. O motivo, de acordo com um político da cidade, amigo das duas partes, seria a mudança de curso de um córrego que delimita as propriedades.

Após fortes chuvas que caíram na região em 2012, o córrego mudou o curso, e segundo a testemunha, os acusados pelo assassinato afirmavam terem perdido cerca de um alqueire por causa disso.

Por várias vezes o vizinho do médico tentou entrar em acordo para reaver sua área perdida, porém Hedilon não teria aceitado, por querer cumprir o que estava escrito no contrato. O suspeito então espalhou pela cidade inteira que iria matar o médico, com todos buscando demovê-lo da ideia.

Até agora, os vizinhos são os únicos suspeitos pela morte do médico. A.D.B., e sua esposa, identificada como “Érica”, teriam tido a ajuda de outras duas pessoas. Os dois são suspeitos “fortíssimos” do crime, afirmou um policial ouvido pela reportagem.

Procurados pela Polícia para prestar esclarecimentos, familiares disseram que os dois tinham ido para São José do Rio Preto para atendimento médico. Os dois foram reconhecidos em fotos pelas outras vítimas. A reportagem tentou entrar em contato com o delegado de General Salgado, Eugênio Dias do Vale, porém ele não foi encontrado.

Crime

De acordo com informações da Polícia Civil de General Salgado, Hedilon foi até o sítio com outros dois moradores de Votuporanga: Francisco Domingos da Rocha, 71 anos, que iria comprar um cavalo de propriedade do oftalmologista, e Carlos Alberto de Oliveira, 42 anos, soldador da empresa Artesia Poços Artesianos, e que foi junto para fazer alguns reparos em uma caixa d’água.

Assim que chegaram à entrada da propriedade, por volta das 22h, os três estranharam a porteira sem o cadeado, mas mesmo assim partiram em direção a sede, onde encontraram o caseiro Luis Gonçalves Leite, 36 anos, amordaçado e em poder de quatro criminosos, três homens e uma mulher.

Os três então foram abordados pelo grupo, sendo o médico já acertado por golpes de facão e tiros. Hedilon ainda tentou fugir para o quintal do sítio, mas foi alcançado e recebeu mais dois tiros. De acordo com os policiais, os bandidos usaram um revólver calibre 38, uma cartucheira e um facão, sendo somente este último encontrado no sítio.

Os bandidos então se dividiram. Um deles foi na caminhonete do médico, levando o corpo de Hedilon na caçamba, obrigando Carlos Alberto a guiar o veículo.

Eles então pegaram a rodovia Feliciano Sales Cunha (SP-310). Após passarem de Auriflama, a cerca de 20 quilômetros de distância de General Salgado, o bandido mandou Carlos Alberto estacionar a caminhonete. Quando o homem desceu, Carlos Alberto aproveitou para ligar a caminhonete e fugir rapidamente. Ele dirigiu até o posto da Polícia Rodoviária Estadual de General Salgado, comunicando o assassinato e apontando a existência do corpo na caçamba. Os policiais fizeram buscas para localizar o suposto assassino, porém não o encontraram.

Já Francisco e Luis foram levados pelos outros integrantes do bando em um Astra até o município de Santo Antônio do Aracanguá, a 40 quilômetros de distância. Lá os dois foram jogados de cima de uma ponte no Córrego das Cruzes.

Francisco conseguiu se salvar ao apoiar-se em galhos e troncos de árvores que estavam na água. Ele foi encontrado pela Polícia Militar por volta das 3h, nas imediações do córrego.

O caseiro do médico também foi jogado no rio, permanecendo parte da madrugada desaparecido. Ele foi localizado às 4h40 em uma propriedade rural onde foi pedir abrigo, após nadar até a margem.

Por André Nonato

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password