Conselho abre ofensiva contra médicos faltosos

O Conselho Municipal de Saúde (CMS) de Rio Preto vai fiscalizar todos os atestados apresentados pelos médicos para justificar suas faltas nas unidades de saúde. Nos últimos dez dias, 15 médicos apresentaram atestados. O objetivo é verificar, no mesmo dia que pediu para abonar a falta, se o médico também deixou de trabalhar em seus outros empregos. Por dia, em média, sete médicos da rede municipal faltam ao trabalho em Rio Preto.

O secretário geral do Conselho de Saúde, Júlio César Figueiredo Caetano, afirma que a decisão foi tomada em reunião há duas semanas e que o cruzamento de dados do primeiro lote de 15 atestados já está sendo feito. “Vamos enviar ofícios para os empregos deles, como convênios de saúde, consultórios, clínicas, hospitais particulares e até faculdades para saber se eles compareceram lá, no mesmo dia que deixaram de atender a população”, explica Caetano.

A decisão do conselho foi motivada por denúncia feitas por usuários dos postos de saúde, que reclamaram dos cancelamentos de consultas previamente agendadas. Além disto, há denuncias sobre médicos que dormem dentro dos carros no estacionamento das unidades de saúde, ou que dão aula em faculdades, em pleno horário de expediente.

Caso sejam constadas as irregularidades, o conselho vai recomendar abertura de sindicância na Prefeitura, denunciar os casos no Conselho Regional de Medicina (CRM), pedir abertura de inquérito policial e encaminhar as provas para o Ministério Público. Quem quiser ajudar na fiscalização dos médicos, o Conselho de Saúde coloca a disposição dos usuários o telefone 0800 7717 123 (ligação gratuita, das 7h as 18h, de segunda a sexta).

Os médicos

O infectologista Renato Fernada, porta-voz dos médicos da rede pública que reivindicam melhorias no sistema, acha que o correto seria o Conselho de Saúde checar se os profissionais cumprem todos os agendamentos marcados. “Em cinco anos de Prefeitura nunca faltei a consultas. Exceto uma vez por ano para participar de congressos médicos. Nesses casos, aviso com antecedência”, diz Ferneda. Para ele, o uso do atestado de saúde para justificar faltas é de responsabilidade de cada médico. Ele concorda que tenha punição se for comprovada irregularidade. Marco Antonio dos Santos/Diário da Região

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password