Como tornar seu celular à prova de furto

Voltando de casa, na última quarta-feira, o estudante P.H.C., 23 anos, foi abordado por dois assaltantes. Levaram o celular do rapaz, um smartphone. Ele nem pensou em discutir com os bandidos, tentar impedir de alguma forma o roubo ou segui-los. Quando chegou em casa, no entanto, ligou o computador e acionou o serviço de rastreamento. Recuperou o aparelho no fim de semana.

A tecnologia como arma contra o crime tem sido utilizada por cidadãos comuns e pela polícia. E não apenas quando o item é de última geração. Qualquer aparelho que tenha como sistema operacional o iOS, o Android ou o Windows Phone pode contar com um dispositivo de rastreamento. O serviço pode levar à identificação exata ou aproximada do lugar em que se encontra o aparelho.

Foi assim com P.H.C., que prefere não se identificar, temendo represália. “Já conhecia os dispositivos e assim que cheguei em casa acessei o site. Depois registrei boletim de ocorrência. Nos primeiros dias, como o aparelho estava desligado, não consegui nenhuma informação. Assim que carregaram a bateria e ligaram o celular, uma mensagem informou o local exato onde estava.”

Quando obteve a localização, o estudante comunicou à polícia e conseguiu encontrar o celular, um iPhone 4 S, no último domingo, em uma loja da Nova Redentora. O aparelho estava com um vendedor que afirmou ter comprado de um rapaz sem saber que era produto de roubo. Ao conseguir um cabo, tentou recarregar o aparelho. Smartphones com o sistema operacional iOS já vêm com o dispositivo de rastreamento. O usuário precisa apenas ativá-lo. Em caso de perda, furto ou roubo, o acesso no site iCloud informa a localização.

Fornecendo as informações pessoais, o rastreamento é feito via GPS. É preciso, porém, que o aparelho esteja com o serviço de GPS e acesso à internet ligados. Em aparelhos com Android, é possível rastrear o celular pelo serviço Device Manager. Sem necessidade de baixar ou instalar, o dispositivo aponta a localização através da conta de e-mail que foi informada no cadastro do Android. A informação de local, porém, não é tão exata.

Nesse sentido, aplicativos como o Android Lost, Wheres my droid e Prey Anti-theft são mais eficientes, mas requerem download. Todos estes são gratuitos. O Android Lost permite ativar ou desativar remotamente alguns recursos do celular, como o GPS. Também possibilita a leitura das últimas mensagens de texto e que o aparelho faça fotos pela câmera frontal. Uma mensagem é enviada ao aparelho, e assim que a pessoa que estiver com o celular apertar “OK”, a foto é feita, revelando o rosto do possível autor do crime.

Tecnologia a favor das vítimas

Exemplos de ajuda das tecnologias para recuperar o celular não faltam, inclusive na região. O aparelho foi o principal fator para prender cinco bandidos que haviam roubado uma casa no Vivendas, em Rio Preto, em agosto de 2013. Após render uma família e levar R$ 300 mil em joias, dinheiro, eletrônicos e um carro, os assaltantes foram dedurados pelo rastreamento de um iPhone quando estavam a 200 quilômetros.

Assim que souberam que um dos eletrônicos roubados era um celular com rastreamento, os policiais ativaram o recurso e conseguiram a localização da quadrilha. A prisão aconteceu no mesmo dia, enquanto os assaltantes abasteciam o carro em um posto de gasolina de São Carlos.

Pouco antes deste caso, em julho, o serviço de rastreamento ajudou a polícia em outra ocorrência. Uma caminhonete e diversos eletrônicos haviam sido roubados no Centro de Rio Preto. Uma hora e meia depois, um dos ladrões foi preso, os objetos e o veículo recuperados.

Aparelhos ajudam a esclarecer crimes

Não são apenas as vítimas que usam dispositivos para localizar os celulares. Segundo o delegado André Balura, os aparelhos inteligentes têm ajudado também a esclarecer crimes de furto e roubo. “Não só os iPhones, os celulares com sistema Android também podem auxiliar devido ao recurso de GPS. Já fizemos alguns testes, e a localização foi precisa.” Alguns bandidos já estão se valendo da máxima de que “o crime não compensa”, pelo menos quanto aos celulares. Quando veem aparelhos que podem entregar a localização, eles deixam para trás. “Um ladrão está avisando o outro e dizendo para não levar que é encrenca.”

Os aplicativos ajudam, mas a função de resgatar o aparelho deve ficar com a polícia. “Quando tiver o aparelho furtado ou roubado, a primeira orientação é fazer um boletim de ocorrência para legitimar a ação policial. Mesmo que localize o aparelho posteriormente, o indicado é procurar a polícia para que realize a abordagem,” afirma Balura. Diarioweb

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password