Comércio é alvo de três assaltos na semana

De acordo com delegado, os ladrões se aproveitam das ‘brechas’ da lei

Votuporanga registrou, na noite de anteontem, o terceiro assalto da semana em estabelecimentos comerciais da cidade. Na mais recente, ocorrida anteontem, um homem armado com facão roubou um hotel, na avenida José Marão Filho. Com estas três ocorrências, sobe para cinco o número de assaltos no mês.

De acordo com o delegado interino da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), Antônio Marques do Nascimento, o ladrão encapuzado ameaçou o recepcionista do hotel com a faca, por volta das 20h e levou R$ 100 do caixa. Em depoimento, o funcionário afirmou que o criminoso estava a pé.

Este é o terceiro assalto da semana. Os outros dois ocorreram na segunda, 24, dois comércios também foram alvos de ladrões. O primeiro caso aconteceu em uma barbearia da rua Amazonas, próxima à praça Matriz. Dois ladrões seguram o barbeiro pelo pescoço, o ameaçaram com uma faca e roubaram a carteira da vítima. A dupla foi pega e encaminhada à cadeia pública de Guarani d’Oeste.

Horas mais tarde, uma doceria da rua Pernambuco, região central de Votuporanga, foi roubada por volta das 18h30. Dois homens, identificados como Frank Davis Pomponeo e Bruno de Freitas levaram R$ 8 mil que estava no escritório do local.

Dois dias depois, Pomponeo foi apreendido em Américo de Campos, durante uma ação da Rocam e Força Tática da Polícia Militar, em conjunto com a DIG de Votuporanga. Testemunhas da doceria reconheceram o criminoso, mas ele não foi preso por não ter sido pego em flagrante. Freitas continua foragido.

Os outros dois casos aconteceram no começo do mês. Dois ladrões armados com revólveres invadiram um posto de combustíveis, no dia 12, e levaram todo o dinheiro do caixa (o valor não foi divulgado pela polícia).

Um dos participantes suspeitos foi detido no dia 14, mas só foi preso porque já havia um mandado contra ele. O outro suspeito do assalto foi encontrado na última segunda, e também liberado, por não ter sido pego em flagrante. Já o primeiro assalto do mês foi a uma loja da rua Itacolomi, no dia 7. A dupla estava armada e levou R$ 14 mil da loja – valor referente ao pagamento dos funcionários. A DIG investiga o caso.

Ao Diário, o delegado interino da DIG atribui esse número elevado de assaltos, principalmente, “à impunidade da lei”. “O sistema hoje é frouxo. Esses bandidos se aproveitam das ‘brechas’ da lei para agir”, disse.

Ainda segundo o delegado, mesmo que os roubos sejam esclarecidos dias depois, o processo após isso é lento. “É feito o inquérito e encaminhado para outros delegados que, na maioria das vezes, não acompanharam o caso. Devido a essa demora, o criminoso tem oportunidade de roubar mais vezes”.

O segundo fator, de acordo com o delegado, é o fim do ano. “Nesta época, todo mundo quer mais dinheiro e ninguém tem, por isso aproveitam o aumento das compras para agir”, finaliza.

Outubro

Números divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo apontam que no mês de outubro, em Votuporanga, foram oito casos de roubos – que incluem estabelecimentos comerciais – três de veículos e nenhum roubo a bancos e cargas. (Colaborou Nathália Brunini

Da Redação

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password