Começa o processo de desfavelamento de Votuporanga

Começou nesta semana, o processo que vai acabar, definitivamente, com as favelas dos bairros São Cosme e Damião e Ipiranga. Grande parte dos moradores desses locais já saiu de suas casas para que na mesma área sejam construídas as novas moradias.

Com isso, as máquinas puderam dar início aos trabalhos para a derrubada das casas e limpeza dos terrenos e enfim começar a construção das casas.O Programa de Desfavelamento é realizado pela Prefeitura de Votuporanga, em parceria com a CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano).

De acordo com informações do Departamento de Habitação da Prefeitura existem aproximadamente 150 famílias cadastradas no Programa. Do total, 83 receberão novas moradias na mesma área e restante se mudará para imóveis do Residencial Monte Verde e algumas ainda aguardarão o processo de licitação de outras casas que serão construídas por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida.

Márcia Cristina dos Santos está há 11 anos no São Cosme e se diz otimista com a nova vida. “Estou achando o máximo, porque eu vou ganhar minha casa. Eu espero coisas boas. Vai ser melhor, conforto para os meus filhos, para mim, para muita gente aqui. A mudança vai ser para melhor. Assim que a gente voltar, vai ter uma casa digna pra morar”.

Morando bem próximo a casa de Márcia, Edmilson Ferreira da Silva também se sente ansioso para se mudar na nova casa. “Está ficando muito bom. Depois de mais de 20 anos é um sonho inesperado da gente. Todo mundo está gostando”, afirmou. O serralheiro Ângelo Lourenço Ambrózio acredita que a mudança virá para melhor com uma moradia de qualidade para todos os moradores. “É difícil viver nas condições que vivíamos, alguns moravam até em barracos de madeira. E era a melhor casa que já moramos. O importante é que agora vai ficar melhor”, disse.

Desde 1995, dona Benedita Afonso de Souza mora em uma das casas do São Cosme e Damião e distante e, nesta sexta-feira, observava o trabalho das maquinas e já faz alguns planos. “Estou achando muito digna pra nós essa mudança. Você vê o maquinário pegando o ‘sujeirão’ que a gente vivia. A vida da gente está mudando pra melhor, porque agora vou ter uma casa limpa, com higiene, caprichada. A gente vai ser muito feliz”.

Dona Maria Cícera da Conceição contou que há muitos anos mora no Ipiranga e o sofrimento foi grande “mas agora as energias começam a se renovar. A gente estava no maior sofrimento aqui e já chegou o dia da gente sair. Logo vamos receber nossas casas é o que estava esperando”.

Conheça o processo

O processo para o desfavelamento está em andamento há dois anos e é uma parceria com a CDHU, com acompanhamento do Ministério Público, que exige diversas regulamentações. Após a regularização da área e a conclusão do projeto das residências, foi aberta a licitação da obra. A empresa vencedora já foi contratada e, tão logo as famílias residentes no local sejam removidas e os barracos destruídos, será liberada a ordem de serviço para início das obras.

Segundo a Diretora do Departamento de Habitação da Prefeitura, Tatiana Megiani, cada família individualmente passou por uma entrevista e, com isso, a Prefeitura tem conhecimento da situação de cada um.

Durante o período em que as casas serão construídas, as famílias cadastradas receberão uma ajuda de custa, no valor de R$ 200, para auxiliá-las no aluguel de moradia.  Ela explicou ainda que, com o desfavelamento, o trabalho de fiscalização continuará para não se permitir mais a construção de outros barracos.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password