Combate à dengue: Educação se “arma” de gibis

Secretaria comprou mais de 3.500 revistas da Turma da Mônica para conscientizar alunos sobre prevenção da doença

No Centro de Educação Municipal (CEM) “Professor Benedito Israel Duarte”, no bairro Vereador José Nunes Pereira, não se fala de outro assunto: dengue. O mosquito Aedes Aegypti – responsável por doenças como dengue, zika vírus e chikungunya – está em cartazes nos corredores, conversas entre alunos e nas prateleiras das bibliotecas, dentro das histórias em quadradinhos.

A Secretaria da Educação de Votuporanga investiu em uma arma poderosa de combate ao transmissor dessas doenças: gibis da Turma da Mônica. A pasta comprou 3.500 revistas e distribuiu para as 12 unidades do Ensino Fundamental.

A iniciativa surgiu de reuniões com o Conselho do Meio Ambiente, Saev Ambiental e comitê da dengue. “A ideia era buscar a conscientização das crianças, que são multiplicadores das informações. Optamos por gibis sobre dengue e meio ambiente, que possuem imagens marcantes, ortografia correta e uma leitura fácil”, explicou a titular da pasta, Silvia Rodolfo.

Silvia contou que a aceitação das crianças foi instantânea. “O material é trabalhado em diferentes faixas etárias. Nos segundos e terceiros anos, especificamente, o interesse em histórias em quadradinhos é maior do que em um livro, pela linguagem e dinâmica”, complementou.

No CEM “Professor Benedito Israel Duarte”, o conteúdo foi abordado durante as aulas de Ciências. “Para os quintos anos, focamos mais na dengue e sua prevenção. Alunos foram divididos em grupos para confecção de cartazes de conscientização. Acreditamos que uma semente plantada na escola pode dar frutos na casa da criança e se expande para a comunidade”, disse a diretora Lucidalva Neto Honório.

Os alunos fizeram a lição de casa. “Eu achei muito legal o gibi, porque conscientiza sobre a dengue. Se a gente não cuidar, vamos ter problemas com o presente e com o futuro”, contou o estudante Guilherme Bermutti, de 10 anos.

O garoto já sabe quais os métodos para prevenir a doença. “Precisa limpar os quintais, não deixar água parada, fechar caixa d´água e colocar areia nos vasinhos de plantas para que as fêmeas não botem ovos”, complementou.

Sua colega de classe, Paloma de Souza, contou que não sabia como era a doença. “Eu não sabia de onde nascia o mosquito. Quem tem animal de estimação precisa estar limpo e devemos ter cuidado com água parada”, finalizou.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password