Clássicos da literatura angolana chegam às bancas

Trata-se das obras Sagrada Esperança, de Agostinho Neto, “Mestre Tamoda e Outros Contos”, de Uanhengaxitu, “Mayombe”, de Pepetela, “Quem me dera ser onda”, de Manuel Rui Monteiro, “Sobreviver em Tarrafal do Santiago”, de António Jacinto e “Trajetória Obliterada”, de João Maiomona.

Completam a coletânea, as obras “Espontaneidade da Minha Alma”, de José da Silva Maia Ferreira, “Nga Mutúri”, de Alfredo Troni e “Delírios”, de Joaquim Cordeiro da Matta, “Segredo da Morta”, de António de Assis Júnior, e “Luuanda”, de Luandino Vieira.

No âmbito desta iniciativa, foi elaborado o programa de Fomento do Livro e da leitura, consubstanciado num conjunto de ações que visam promover a leitura no país e incentivar a produção de obras literárias que valorizem a marca Angola, promovam a educação e o amor à pátria e contribuam para o resgate dos valores cívicos e morais.

O programa de fomento do livro e da leitura terá inicialmente a duração de 3 anos , a contar da data do seu lançamento oficial, podendo, entretanto, ser prorrogado por tempo a definir pela entidade promotora.

De entre as iniciativas enquadradas no programa, destacam-se a edição anual de uma coleção de obras de referência, designada “11 clássicos da literatura angolana”, o desenvolvimento de uma campanha de incentivo à leitura e a atribuição de uma bolsa literária.

O projeto, enquadra-se no programa do Executivo angolano “Amo Angola”, desenvolvido pelo Gabinete de Revitalização e Execução da Comunicação Institucional e Marketing da Administração (GRECIMA), doravante designado entidade promotora, visando a promoção nacional e internacional da marca Angola e a educação patriótica, atraves da promoção do patrimônio identitário da cultura angolana.

Luís Fernando, porta-voz do painel de seleção do programa, referiu, na ocasião, que o projeto visa valorizar a cultura nacional e é uma pertinente ideia para o aumento dos índices de leitura das obras selecionadas.

Avançou, igualmente, que os 11 clássicos escolhidos são e foram as mais recomendadas por professores e mestres durante os trabalhos acadêmicos. Já o crítico literário e professor universitário Jomo Fortunato, que também integra o mesmo painel, salientou que os critérios de literariedade, estética, pertinência do tema, história, o valor simbólico à crítica e plano de discurso estiveram na base da escolha dessas obras.

Estas estão a ser vendidas ao preço simbólicos e único de 500 kwanzas. Por sua vez, Dilvaldo Martins, outro integrante do painel, indagado quanto à importância e impacto do projeto, explicou que este surge como sustentáculo de uma bolsa literária, visando o surgimento de novos valores literários e a ajuda a autores que pretendam lançar no mercado, sem encargos.

Podem candidatar-se à mesma, escritores conhecidos ou principiantes, devendo apresentar uma obra que será submetida a uma avaliação por uma comissão preparada para o efeito.

Acrescentou, que uma vez aprovada a obra, será publicada sem custo para o autor, cabendo-lhe ainda 250 mil kwanzas. Poderão candidatar-se à bolsa literária, cidadãos a partir dos 16 anos.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password