“Cerveja não embriaga ninguém,” afirma Meidão

O projeto que visa autorizar a venda de bebida alcoólica nas partidas realizadas na Arena Plínio Marin voltou a gerar polêmica durante a primeira sessão ordinária de 2016. Por opção própria, o vereador e presidente da casa, Sergio Adriano Pereira, optou por fazer a retirada do projeto da pauta do dia, o que, conforme é previsto por lei, ele é autorizado, e justificou afirmando que a retirada era para que o mesmo fosse melhor discutido durante a semana.
O autor da medida, vereador Mehde Meidão Slaiman Kanso, não mostrou-se muito contente com a ação do presidente, e voltou a defender seu projeto durante sua fala na tribuna. “Esse nosso projeto está em vigor em Goiás, Minas Gerais, Bahia, Rio Grande do Norte. Quero cumprimentar aqui o deputado de São Paulo, Itamar Borges, que apresentou na assembleia legislativa de São Paulo um projeto de lei liberando a cerveja no estado todo”, disse.

“Cerveja não embriaga”
O vereador também aproveitou a oportunidade para atacar a comissão de Justiça e Redação da Câmara, que estaria analisando o projeto como inconstitucional. “Se nos eventos da Santa Casa pode, no campo de futebol não pode? Está caindo em contradição nossa comissão de Justiça e Redação. A antialcoólica, nas festas, tem participado nas vendas de ingresso. Não bebe, não toma, mas participa na venda de eventos da cidade. Eu acho que nesse jogo da inauguração da Arena, com mais de 30ºC, o desespero da turma de boca seca. Você não vai embriagar, cerveja não embriaga ninguém. Quem mantém a propaganda dos grandes jogos na TV? Cervejaria”, disse.

Rasga a legislação
Jurandir Benedito da Silva, que é membro daquela comissão, relatou que fica perplexo com um vereador que rasga a legislação. “Tentou diminuir a comissão de justiça e redação. Nós temos tomado todo cuidado para não correr em ilegalidade. O vereador tem os pareceres dos órgãos que contatamos. Douglas [Lisboa] contribui imensamente quando junta o parecer do TJ informando que realmente é inconstitucional. Se tem uma legislação que trata, não tem como qualquer câmara ou administração passar por cima. Meidão está equivocado, não vamos entrar no mérito. É comum, em época de eleição, ele criar esse tipo de situação para essas coisas. Se for constitucional, aí sim a câmara vai poder discutir. Isso faz parte da política. Eu não faço esse tipo de situação, não sou demagogo. É inadmissível o vereador propor projeto inconstitucional”, finaliza Jura.
O presidente da casa relatou que, nessa semana, a Federação Paulista dará um parecer sobre o projeto, para que, só então, os edis possam voltar a discuti-lo. Fontes relatam que, ainda nessa semana, será realizada uma sessão extraordinária para a apreciação do mesmo.

Projeto
No projeto fica proibida a venda de cerveja em garrafas e latas, podendo ser vendida somente em copos, para pessoas acima de 18 anos. “Se a cerveja é hoje uma bebida social, nada mais justo. Esse projeto que estou copiando é da cidade de Ribeirão Preto, onde os clubes da cidade, Comercial e Botafogo, exigiram da prefeitura esse projeto de lei. Nós estamos propondo atrás desse projeto, virá uma colaboração para o nosso clube. A marca que pegar pode ajudar o time e, enfim, trazer grandes benefícios ao futebol de Votuporanga”, disse ele. Maíra Petruz/Diário de Votuporanga

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password