‘Cemitérios de vagões’ viram focos de dengue no noroeste paulista

Três “cemitérios de vagões” na região noroeste paulista estão causando transtornos para os moradores. No local estão composições acidentadas, toneladas de ferro velho, que ficam acumuladas em torno da linha do trem, poluindo e prejudicando a saúde pública.

Na antiga estação ferroviária de Araçatuba(SP), por exemplo, vagões que não tem mais utilidade ficam abandonados, cheios de mato e com água parada. Alguns viraram um amontoado de sucata.

Já em São José do Rio Preto (SP), o pátio da ALL, concessionária que administra a linha férrea, se transformou ao longo dos anos num verdadeiro depósito de ferro velho. São dezenas de vagões danificados em acidentes e restos de peças espalhados pelo local. Em um trecho pequeno, menos de 500 metros, estão 30 vagões abandonados.

A área é cercada, mas nem por isso deixa de oferecer perigo aos moradores. As carcaças, algumas encobertas pelo mato, também tem água parada, um risco para uma cidade que enfrentou no ano passado uma epidemia de dengue, com mais de 18 mil infectados.
Quem mora perto do problema não se conforma com o  descaso da empresa e das autoridades. “Acho um perigo os vagões abandonados porque tem cobra, pessoas usam droga no local, ladrões se escondem nos vagões”, afirma a dona de casa Alaíde Rocha dos Santos.

Em Ecatu, distrito de Tanabi (SP), a situação é ainda pior porque os vagões estão abandonados ao longo da linha férrea, em uma área aberta por onde passam moradores todos os dias. Ao todo, são 20 vagões tomados pelo mato e também com água parada. Além de se tornarem criadouros do mosquito da dengue, os ferros velhos atraem vários outros animais peçonhentos.

A Secretaria de Saúde de Tanabi já entrou em contato várias vezes com a concessionária e até hoje nenhuma providência foi tomada. A preocupação com a saúde dos moradores é grande. “Não conseguimos com a ALL retirar os vagões e fazer a limpeza do terreno, a população tem problema com cobras, ratos e criadores da dengue e dificulta o trabalho dos agentes de combate a dengue”, diz Fernando Cardoso Casarin, escriturário da Secretaria de Saúde.

O Ibama também já foi acionado e de acordo com a chefe do instituto na região, os vagões não podem ficar expostos e abandonados do jeito que estão. “O Ibama tem notificado que se retire os vagões e caso não haja o cumprimento da notificação o Ibama autua. Nos últimos anos, a ALL tem tido alguns autos de infração por não ter retirado”, diz Cleide Maria Guirro, chefe do Ibama na região de Rio Preto.

A concessionária informou em nota que montou um cronograma com as autoridades para a retirada dos vagões. A prefeitura de Araçatuba informou que vai enviar fiscais para verificar a situação. A de Rio Preto afirmou que agentes jogam veneno no local a cada 15 dias, e que a ALL já foi notificada a limpar o mato alto.

 

G1

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password