Caso Schiavo: advogados alegam legítima defesa do réu


Desta vez, jovem senta no banco dos réus pela tentativa de homicídio contra Ivonei Pedro Freitas, que levou quatro tiros em 2012O jovem Rogério Schiavo, condenado a 9 anos de prisão, pela participação na morte de Camila de Jesus Lopes, de 21 anos, ocorrida em 26 de julho de 2012, será julgado novamente, só que desta vez, por uma tentativa de homicídio.
Segundo o Ministério Público, dia 29 de janeiro de 2012, a vítima Ivonei Pedro Freitas dirigia seu automóvel Gol, quando o réu, pilotando sua motocicleta, aproximou e começou a atirar contra ele, provocando lesões graves.
“Não foi possível apurar o motivo do crime, só não se consumando o homicídio por circunstâncias alheias à vontade do agente”. O julgamento acontece hoje, às 9h, no Fórum de Votuporanga.Crime
De acordo com matéria publicada pelo Diário à época do crime, o fato ocorreu próximo a um bar localizado na rua José Abdo, no bairro São João. “Os disparos que atingiram Ivonei Pedro Freitas teriam sido dados por um amigo da própria vítima, de nome ‘Rogério’, e que está foragido. Segundo Ivonete Freitas Silva, irmã de Ivonei, ele havia ido até o bar comprar cigarros e quando estava dentro do carro ouviu alguém chama-lo. ‘O rapaz chamou e logo começou a atirar, sem dar tempo de reação’. O agressor atirou seis vezes, tendo quatro deles atingido Ivonei. Mesmo ferida, a vítima conseguiu dirigir até a Santa Casa para receber atendimento médico. Após os primeiros cuidados, ele foi transferido para o HB”, consta da matéria.
O que teria motivado o suposto rancor de “Rogério” seria um bate boca entre os dois. “De acordo com o boletim de ocorrência expedido pela Polícia Civil, a ex-mulher do autor estava na casa da vítima, conversando com a esposa do mesmo, quando o acusado chegou e começou a discutir com ela. A vítima então resolveu interceder, deixando ‘Rogério’ irritado e esbravejando uma série de ameaças. De acordo com Ivonete, os dois eram amigos, tendo o autor dos disparos frequentado a casa da família algumas vezes quando Ivonei ainda era solteiro”, diz a reportagem, que acrescenta: “Das quatro balas, uma ficou alojada no rosto e outra no peito, bem próximo a ao coração. ‘O médico nos disse que faltou um milímetro para atingir o coração’, contou”.Legítima defesa
Segundo um dos advogados do réu, Douglas Teodoro Fontes, Rogério agiu em legítima defesa. “Ele alega que estava de moto, quando percebeu que a vítima, que dirigia um automóvel, sacou uma arma de fogo. Assim que ele viu que poderia ser atingido, agiu em legítima defesa e disparou contra Ivonei”, declara.

Condenação
Rogério Schiavo já está preso pelo homicídio de Camila de Jesus Lopes, ocorrido em julho de 2012, por volta das 21h40, na rua Maranhão, bairro Cidade Nova. Da sentença consta que ele foi condenado por homicídio simples, por ter ajudado e ter dado dando apoio logístico e psíquico a Renan Henrique Alves da Silva, acusado de assassinar a vítima. A partir da decisão dos jurados, o réu foi considerado culpado mesmo negando conhecer o indiciado. A todo o momento, Schiavo negou que conhecia o acusado pelo assassinato, mas a testemunha de acusação e delegada que conduziu a investigação, Edna Rita Freitas, afirmou que foi apurado que os dois eram amigos e frequentavam um posto de combustível juntos, onde, segundo a testemunha, confessaram o crime e foram reconhecidos pelos funcionários do local, que foram ameaçados se testemunhassem em juízo e uma das servidoras teve que mudar até de casa e sair do trabalho.

Júri anulado
O advogado Douglas Fontes informou que o réu está detido no presídio de Paraguaçu Paulista. “A condenação pela morte da Camila está em grau de recurso, ou seja, estamos recorrendo com o objetivo de anular aquele julgamento. Rogério foi condenado injustamente pela morte da vítima. Caso a gente consiga derrubar aquele júri popular, nosso cliente pode ser julgado novamente ou até ser posto em liberdade”.

Greve
Embora a greve dos agentes penitenciários tenha acabado parcialmente, não há informação oficial de que o júri de hoje poderia ser cancelado. Segundo fontes ligadas ao Fórum, o julgamento deverá ocorrer sem problemas.

Jurados
Os jurados sorteados para compor o Conselho de sentença são: Antônio Carlos Haddad, Bruno Benhocci Santana, Celso Luiz Alves dos Santos, Claudinei Garcia Gonçalves, Drieli Cristina Dazzi Pereira, Guilherme Ferrari Rocha, Hélio Tamada, Janete Soares de Lima, Jéssica Cristina Mansano Parisi, Lucas Barbosa Lopes de Souza, Manoel Izidoro de Souza, Maurício Fernandes Simonato, Mayane Larissa Barrientos Pavão, Orlando Beretta Junior, Paulo Rodrigo Ribeiro Tobias, Rogério Jorge Diniz, Rosângela Rossignoli Silva, Simone Cristina Cordeiro, Sueli Falchi, Valdemar Delavale Junior, Valter Mariano dos Santos Junior, Vanderleia Ferreira Euzébio, Vera Lúcia Fugita dos Santos, Viviane Silvestrini dos Santos e Wilson Luiz Borges Junior.

Rogaciano
O julgamento do lavrador Rogaciano Sousa de Oliveira, cancelado em decorrência da greve dos agentes penitenciários, na última sexta-feira, ainda não tem nova data para acontecer.
Rogaciano é acusado de ter matado Elso de Almeida, o Coelho, com uma facada no peito, em julho do ano passado. Segundo o Ministério Público, o acusado agiu por motivo fútil, empregando recurso que dificultou a defesa da vítima, provocando-lhe a morte. O réu permanece preso desde o flagrante. O crime ocorreu por volta de 0h40 do dia 28 de julho de 2013, numa propriedade rural, próxima ao Horto Florestal. Segundo a denúncia, o crime foi motivado após uma discussão acerca do furto do bezerro do patrão da vítima, no qual o réu era suspeito.

Da Redação Diario de Votuporanga

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password