Caso Érica: Polícia vai concluir inquérito até o dia 20

O caso do assassinato da jovem Érica Diogo Guilherme, ocorrido no final de dezembro de 2012, tem data para ter um desfecho final: dia 20 deste mês. Essa é a data estipulada pela polícia para a conclusão do inquérito que apura todos os detalhes do brutal assassinato.

Esta data também é o último dia da prisão temporária do assassino confesso da jovem, Wilson Aparecido Rodrigues, que se encontra preso em uma cela separada na Cadeia Pública de Votuporanga.

O delegado responsável pelo caso João Donizete Rossini – titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) disse que esse prazo será respeitado e que até esta data, a Justiça deverá conceder o pedido de prisão preventiva contra o acusado. Assim sendo, Wilson deverá ser transferido da Cadeia de Votuporanga para o Centro de Detenção Provisária de São José do Rio Preto, aguardando o prosseguimento do processo pelo Ministério Público e a Justiça.

O responsável pelo caso diz que as investigações estão sendo concluídas, mas não adiantou mais informações acerca do inquérito policial. “Só vou falar em coletiva de imprensa, mas posso adiantar que o prazo do dia 20 será respeitado e as investigações estarão conclúidas”.

O Ministério Público após receber o inquérito vai proferir a ação contra o assassino.

O caso

Um fim trágico envolvendo o caso do desaparecimento de Érica Diogo de Oliveira – esposa de um empresário  do ramo de joalheria de Votuporanga.

A Polícia localizou por volta das 17 horas deste sábado, o corpo da mulher que estava desaparecido desde o início da noite de quinta-feira.

Érica, esposa de Alexandre Guilherme, proprietário de uma joalheria na cidade, desapareceu após fazer compras em um supermercado da cidade. Ela foi abordada por um homem que a obrigou a entrar em seu veículo, um Palio, e dirigiu sentido Fernandópolis.

Após intensa investigação policial que envolveu agentes da Polícia Civil e militar, em buscas por toda a região, o acusado foi localizado por volta das 17h30, deste sábado, em uma residência na cidade de Cardoso.

O desempregado Wilson Aparecido Rodrigues, 49 anos, foi preso, confessou ter assassinado brutalmente a vítima, golpeando-a três vezes, e em seguida, arremessou o seu corpo de um altura de oito metros na ponte do rio Tomaizinho, SP 322 – que liga Cardoso a Riolândia.

votunews

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password