Casal encontrado em quarto de resort morreu asfixiado por gás, diz polícia

A polícia informou que o casal encontrado morto na tarde de domingo (6) no quarto de um resort de Olímpia (SP) foi asfixiado. Segundo o delegado responsável pelo caso, Ricardo Afonso Rodrigues, o Instituto Médico Legal (IML) de Barretos (SP) concluiu que a causa da morte foi asfixia mecânica causada por inalação de gás.

Edson Fernandes Lopes, de 24 anos, e a namorada dele, Rubia Alves de Oliveira, de 22 anos, moravam em Guarulhos (SP) e estavam na cidade prestando serviço terceirizado em uma pista de patinação que funcionava no Olímpia Park Resort.

Em nota, o Olímpia Park Resort afirma que lamenta o ocorrido e que está oferecendo apoio aos familiares e acompanhando a apuração do ocorrido.

O colega do casal, que prestou depoimento como testemunha, foi quem encontrou as vítimas mortas. Edson foi achado com o botijão de gás freon, usado em sistemas de refrigeração, ao lado da cama e a mangueira acoplada no equipamento estava próximo a boca dele.

“Esse gás era próprio do trabalho dele, ele havia feito um curso específico sobre refrigeração e sabia do risco da inalação do gás. Anteriormente ele já havia até inalado o gás na presença de outras pessoas”, Ricardo Afonso Rodrigues.

Segundo o delegado, a polícia investiga o uso do gás. Uma das hipóteses é que o rapaz fez a companheira inalar o produto e depois também ingeriu. Para a polícia, foi um feminicídio seguido de suicídio.

“Eles passaram a noite bebendo, de manhã teve uma pequena discussão do casal. Aparentemente pela posição dos corpos, ele deu o gás para ela cheirar enquanto ela dormia, em seguida, ele pegou a mangueira do botijão de gás e inalou até morrer”, conta o delegado.

Ainda conforme o delegado, somente os exames periciais irão apontar a causa da morte, já que o corpo de Rubia foi encontrado sem sinais de lesões de defesa.

G1

0 Comentários

Deixe um Comentário

4 × 3 =

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password