Carta de apoio: Capitão Edson Fávero – Polícia Militar


Carta de apoio ao Ten. Brito

Ao meu amigo Brito,
Caro Tenente Brito, Oficial da Polícia Militar do Estado de São Paulo, bacharel em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública pela Academia de Polícia Militar do Barro Branco, Bacharel em Direito, graduado pelo Curso de Bombeiros para Oficiais pela Escola Superior de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo, entre outras tantas especializações.

 

Minha solidariedade, meu respeito por tão nobre missão que desempenha á frente do Corpo de Bombeiros de Votuporanga. Minha admiração por suas realizações, no presente e no passado. A ti, e á tua honrada, honesta, trabalhadora e tradicional família, pai Laerte, mãe Alice, esposa Silvana, irmão doutorando, nesse momento de turbulência, contestações, críticas, acusações, ofensas, desconfianças estendo-lhes minha mão e ofereço meu ombro amigo, pois sei que poucos o farão.
Batalhamos, eu, muitos policiais militares, você e todos demais guerreiros bombeiros, em serviço ou que estavam em gozo de folga e muitos cidadãos heróis, no incêndio a um prédio pela Avenida Emílio Arroyo Hernandes, recentemente. Recebi a informação, durante o almoço, de que o incêndio tomava proporções indesejadas. Conheço as limitações existentes. Embora não seja Bombeiro, sei que as chamas de um incêndio não têm respeito por nada, nem por ninguém, consome tudo que está pela frente, seja uma humilde residência ou uma rica edificação. Rapidamente fui para o local, lá chegando vi que a coisa estava feia. Tudo que era possível para ajudá-los, eu e meu efetivo tentamos fazer. Isolamos o local, estendemos mangueiras, tiramos mobílias, respiramos fumaça, levamos água, etc, etc, etc… Pouco. Mas fizemos.
Confesso agora, que vi em você e nos olhares de seus combatentes que as notícias que teriam que dar para os proprietários daqueles estabelecimentos e apartamentos residenciais, dessa vez, não seriam boas, apesar de todos estarem exauridos pelo cansaço e de terem extrapolado seus limites físicos. Diversas vezes, arvorando-me das suas funções, alertei seus homens para que se afastassem de paredes prestes a desabarem. O risco? Para eles não importava. Era preciso debelar o incêndio. Percebi que aquela batalha estava sendo vencida pelo fogo. Creio, na minha humilde opinião que a missão foi cumprida. Afinal, quantas vítimas de morte, de lesões por chamas, ou intoxicações? Ao que sei alguns heróis bombeiros é que necessitaram ser medicados. Posso afirmar tudo isso. Estive lá. Participei. Trabalhei. Vi, Vivenciei, Ajudei. Fui embora. Vocês bombeiros? Continuaram lá.
No tempo em que lá estive vi uma ou outra autoridade (me refiro aqui a pessoas que ocupam cargos públicos, qualquer um, e, que conseqüentemente tem o dever de fazer o melhor pelo povo, patrão legítimo de nós todos, sejamos do executivo, legislativo ou judiciário). Não as citarei. Quem lá esteve sabe o que foi feito para se por fim ao incêndio. Pode ser que por lá passaram outras autoridades e auxiliaram no combate ao incêndio como muitos cidadãos. Não as vi.
Muitos comentários surgiram na imprensa falada e escrita locais sobre esse incêndio. É justo. As vítimas dos prejuízos financeiros merecem toda solidariedade da comunidade local. Nós funcionários públicos devemos ser cobrados. Em nosso município o fogo já consumiu, total ou parcialmente, várias humildes residências em bairros periféricos da cidade. Não foram veiculados comentários acerca de os Bombeiros terem chegado atrasado, demorado, a mangueira estar furada, ter faltado água, etc.
Falo e afirmo você é um grande Comandante e um grande administrador. Suas realizações profissionais provam isso. Sua juventude o leva a alguns erros. Natural, todos cometemos erros, diariamente, tentando acertar. Parabéns pela transformação que você, apoiado por pessoas do bem, está realizando no Corpo de Bombeiros de Votuporanga. Suas realizações valorizam e muito os profissionais que com você trabalham e a comunidade Votuporanguense. A sua luta é por maior segurança para seus homens e para a integridade física e patrimonial da população votuporanguense e da região. Às vezes não dá. Dessa vez não deu. O fogo migrou para dois estabelecimentos vizinhos. Um de cada lado do foco do incêndio. Os Bombeiros têm seus limites.
Nós policiais militares, patrulheiros, bombeiros, rodoviários, ambientais, recebemos críticas. Algumas justas. Outras injustas. Suporta mais essa, afinal não é a primeira vez que acontece nessa intensidade. Da anterior você cresceu, venceu, evoluiu como profissional e como pessoa. Responda se for o caso, pessoal e educadamente. Nós temos regras a serem seguidas: normas, regulamentos, códigos, etc. Outros não. É a realidade que vivemos. Tempos difíceis.

Cap PM Edson Fávero – Cmt 3ª Cia PM

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password