Carrasco alviverde, Romarinho sai do banco e evita revés do Timão no Dérbi

Romarinho está para o Palmeiras assim como Zinedine Zidane está para o Brasil, ou como kriptonita está para o Super-Homem. Neste domingo, o atacante corintiano deixou mais uma vez sua marca contra o rival no empate em 2 a 2 e evitou que o Corinthians perdesse o Dérbi para o Verdão, no Pacaembu, neste domingo, antes da estreia alvinegra na Copa Libertadores.

Emerson Sheik abriu o placar e Vilson empatou a partida ainda na primeira etapa. Já no segundo tempo, Vinícius contou com falha de Cássio e virou a favor dos alviverdes. E Romarinho, com quatro gols em três jogos diante da equipe do Palestra Itália, deixou tudo igual no clássico.

O Dérbi

E como os quase 96 anos de clássico sugerem, o Dérbi começou quente no Pacaembu. Com a habitual pressão iniciada já no campo de ataque, o Corinthians empurrava o Palmeiras, que tinha dificuldades na saída de bola.

E o Verdão, que cada vez mais se encontrava acuado na metade defensiva do gramado, abusou dos erros defensivos na etapa inicial. Erros que, na última quarta-feira, pela Libertadores, foram “perdoados” pela fragilidade técnica do Sporting Cristal (PER). Primeiro, os defensores vacilaram em trapalhada envolvendo Henrique e Vilson, que resultou em chute de Jorge Henrique na trave.

Depois, o sistema defensivo alviverde permitiu a passagem de Fábio Santos que, livre pela esquerda, cruzou para outro companheiro sem marcação. Porém, Paulinho cabeceou para fora.

Os vacilos dos palmeirenses na marcação e a dificuldade de sair com a bola dominada de trás não foram perdoados na terceira boa oportunidade do Timão. Sheik foi derrubado por Maurício Ramos na intermediária. Fábio Santos cobrou a falta, Marcelo Oliveira não acompanhou Paulo André, que desviou para trás no pé de Sheik. O camisa 11 corintiano finalizou rasteiro e abriu o placar.

Guerrero poderia ter ampliado a vantagem alvinegra, mas desperdiçou ao acertar a trave em mais um erro do Palmeiras, desta vez de Fernando Prass. Após o lance do peruano, o Corinthians diminuiu a pressão dos atacantes e passou a esperar mais o Verdão em seu campo de defesa.

Espera que foi castigada com o empate palmeirese. Wesley cruzou da esquerda na medida para Vilson, que contou com a desatenção de Ralf para cabecear e igualar o marcador.

Não fosse a individualidade excessiva de Wesley, o Palmeiras poderia até ter chegado ao segundo gol já nos 45 minutos iniciais. No entanto, o camisa 11 abusou do preciosismo nas ações ofensivas, jogando fora boas chances do Verdão de virar o jogo.

Na volta para a etapa complementar, o Palmeiras provou que Jardel estava certo quando disse, certa vez, que “clássico é clássico e vice-versa”. Sem minimamente importar-se com a distância de um clube para o outro atualmente – um campeão do mundo e o outro na segunda divisão – o Verdão foi ao ataque e alcançou a virada, em novo cruzamento. E de Wesley. O meia cobrou falta da direita, Cássio saiu, não achou nada, e Vinicíus completou de cabeça para o fundo do gol.

Com o domínio palmeirense no princípio do segundo tempo, Tite colocou o carrasco alviverde Romarinho para tentar dar mais ofensividade ao Corinthians. Logo depois, veio Renato Augusto no lugar do apagado Danilo, que não teve boa atuação.

E foram justamente as duas alterações que recolocaram o Timão no jogo. Primeiro, o atacante, que parou em boa defesa de Fernando Prass. Depois, Renato Augusto, que quase empatou em chute de longa distância. Mas o talismã do Timão não estava contente em apenas melhorar o desempenho do time do Parque São Jorge.

E como o torcedor corintiano poderia esperar – e também o palmeirense, é claro – Romarinho sairia do banco de reservas para fazer o que ele faz de melhor nos Dérbis: gol. Cássio repôs a bola em jogo e lançou para Alexandre Pato quase na grande área adversária. O corintiano dominou e tocou para o camisa 31, que finalizou colocado, com tranquilidade, da entrada da área e deixou tudo igual no Pacaembu.

As alterações de Tite surtiram efeito e o Corinthians passou a dominar o meio de campo. Melhor, o Timão seguiu em cima do Palmeiras, que perdeu velocidade nos contra-golpes com as saídas principalmente de Patrick Vieira e Wesley. Contudo, o Corinthians não conseguiu transformar a superioridade da segunda metade da etapa final em gols.

Próximos compromissos

Na próxima quarta-feira, o Corinthians estreia na Libertadores deste ano contra o San Jose (BOL), em Oruro, às 22h. Já o Palmeiras só volta a entrar em campo no próximo domingo, pelo Paulistão, diante do União Barbarense, às 16h, no Pacaembu.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 2 X 2 PALMEIRAS

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data/hora: 17/2/2013 – 16h
Árbitro: Antonio Rogério Batista do Prado
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho e Ricardo Pavanelli Lanutto
Renda/público: R$ 1.139.287,50/ 34.010 pagantes
Cartões amarelos: Maurício Ramos (PAL); Jorge Henrique, Emerson e Romarinho (COR)
Cartões vermelhos: Não houve

GOLS: Emerson 17’/1T (1-0); Vilson 29’/1T (1-1) ; Vinícius 8’/2T (1-2); Romarinho 27’/2T (2-2)

CORINTHIANS: Cássio; Alessandro (Romarinho 14’/2T), Gil, Paulo André, Fábio Santos, Ralf, Paulinho, Danilo (Renato Augusto 15’/2T), Jorge Henrique, Emerson Sheik e Guerrero (Alexandre Pato 21’/2T). Técnico: Tite

PALMEIRAS: Fernando Prass; Weldinho, Henrique, Maurício Ramos, Marcelo Oliveira, Márcio Araújo, Vilson, Souza, Wesley (Caio 35’/2T), Patrick Vieira (Charles 22’/2T) e Vinícius (Ronny 28’/2T) . Técnico: Gilson Kleina.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password