Campeão no intervalo, Cruzeiro bate Vitória e comemora tricampeonato

A torcida já tinha comemorado. Os jogadores já tinham deixado o discurso cauteloso de lado. Rivais, dirigentes, imprensa e o resto mundo já tinham admitido que o Cruzeiro era o campeão brasileiro de 2013.

 

Faltava apenas convencer os matemáticos do tricampeonato celeste. E para isso nem foi preciso fazer esforço, já que o Atlético-PR perdeu para o Criciúma. Mas mesmo assim o time mineiro lutou para completar a festa com uma vitória em Salvador: bateu o Vitória por 3 a 1 e completou a excelente campanha do time de forma brilhante.

 

Agora não há mais ressalvas para decretar o tricampeonato brasileiro do Cruzeiro, que veio com quatro rodadas de antecedência.

16
Não há mais constestações: até matematicamente o Cruzeiro já está decretado como campeão brasileiro de 2013. O tricampeonato veio com quatro rodadas de antecedência, na noite em que o time bateu o Vitória por 3 a 1
Foto: Felipe Oliveira/ Agif / Gazeta Press

 

Porém, nesta quarta, o Vitória começou o jogo mais ligado e concentrado, por isso dominou quase todas ações no início. Marquinhos teve duas grandes chances de gol, mas em ambas Fábio fez incríveis defesas. O Cruzeiro só levou perigo em uma jogada inspirada de Borges, que dominou a bola de costas para o gol e arriscou um voleio bonito, mas mandou a bola para fora, por pouco.

 

Começou então uma chuva de gols perdidos pelo Vitória. Aos 28min, após erro de Leandro Guerreiro, Escudero acertou um chute e fez a bola passar perto da trave. Dois minutos depois, quase saiu um golaço, já que Dinei escorou para dinei chutar de primeira na área, mas a finalização foi para fora também.

 

 

Willian substituiu Everton Ribeiro e teve grande atuação no jogo do título Foto: Agif / Gazeta Press
Willian substituiu Everton Ribeiro e teve grande atuação no jogo do título
Foto: Agif / Gazeta Press

 

Então apareceu a velocidade do campeão brasileiro, característica que foi fundamental para o Cruzeiro conquistar o título. Aos 36min, Dagoberto ganhou disputa e enfiou para Willian, que mostrou seu conhecido poder de finalização para marcar o gol.

 

Depois do intervalo, uma cena curiosa aconteceu, já que foi confirmada a derrota do Atlético-PR, e os atletas do Cruzeiro voltaram para campo comemorando o título. Mas eles tinham que continuar jogando e esqueceram disso: com apenas 5min, após distração de Léo na saída de bola, Dinei foi lançado, ganhou dividida contra o goleiro Fábio e empatou o jogo.

 

 

O gol esfriou a festa cruzeirense, até porque o Vitória continuou melhor na partida. Tanto que Fábio precisou fazer “milagre” de novo, aos 24min, quando Dinei arriscou de fora da área, de primeiro, mas viu seu chute desviado pela ponta dos dedos do goleiros.

 

Repetiu-se então a história do primeiro tempo. Mesmo melhor em campo, o Vitória sofreu o gol. Dagoberto foi lançado nas costas da defesa e tocou para Júlio Baptista, que tinha saído do banco de reservas, marcar o segundo gol celeste.

 

 

Alheio ao título do Cruzeiro, o Vitória ainda sonha com o G-4 e por isso continuou vivo na partida. Tanto que Dinei acertou acertou o travessão aos 34min. Mas tudo dava certo apenas para o Cruzeiro, que marcou o terceiro gol com Ricardo Goulart, após passe de Willian.

 

Depois disso, a festa do título foi até para o banco, já que os reservas passaram a ignorar o jogo e só fazer festa. O Vitória não parou, teve chance de gol com William Henrique, mas Fábio defendeu e aumentou uma comemoração que ainda vai durar, pelo menos, quatro rodadas.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password