Campanha promovida pela Unifev chega a 278 cadastros

Último dia da ação obteve 82 novos registros; doadores ainda podem se inscrever nos hemocentros de Fernandópolis e Rio Preto

A Campanha “Seja um herói, salve vidas”, promovida pela UnifevV, em parceria com o Hemocentro de Fernandópolis, em prol do menino João Pedro Azevedo, de 6 anos, alcançou o número total de 278 cadastros.

A ação foi realizada em três etapas: dias 23 e 30 de outubro, no Câmpus Centro da Instituição e dia 19 de novembro, na Cidade Universitária, ocasião em que foram feitas 82 novas inscrições.

Quem colaborou com a causa, aprovou a iniciativa do Centro Universitário de Votuporanga. O ajudante geral Jorge Antonio Oliveira Garcia, 42 anos, afirmou que campanha feita pela Unifev facilitou a sua doação.

“Eu tinha vontade de ser um doador, mas era difícil ir até Fernandópolis. Pelo menos aqui, pude fazer a minha parte. Eu ficaria muito feliz em ser compatível com alguém. Penso que ajudar a salvar uma vida é algo que não tem preço”, comentou.

Embora a campanha tenha terminado na Instituição, as doações em prol da criança continuam nos hemocentros de Fernandópolis e Rio Preto.

Os interessados só precisam ter entre 18 e 54 anos, gozar de boa saúde (não ter doença infecciosa ou incapacitante) e apresentar documentos como RG, CPF e o cartão do SUS, no ato da inscrição. Após o preenchimento de uma ficha, também é necessário coletar 10 ml de sangue do doador. Depois disso, os dados são cadastrados diretamente no banco nacional de doadores de medula óssea, o Redome.

O assistente social do Hemocentro de Fernandópolis, Vandir Rocha, lembra que o cadastro no Redome não garante a doação direta ao menino. “Talvez o voluntário não seja compatível com o João Pedro, mas possa ajudar outras pessoas que necessitam desse tipo de doação em todo o Brasil.”

A chance de encontrar uma medula compatível pode chegar a uma em um milhão.

 

Caso

O caso do menino João Pedro, que vive em Fernandópolis, já é bastante conhecido na região, em razão das inúmeras ações desenvolvidas por familiares e amigos, na tentativa de encontrar um “herói” para ele.

No momento, o quadro clínico da criança é considerado estável pelos médicos. Entretanto, os pais correm contra o tempo em busca de um doador cuja medula óssea seja compatível com a do filho.

Para mais informações, entre em contato com o Hemocentro de Fernandópolis. O telefone é o (17)3442-5544.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password