Câmara Municipal de Rio Preto vira caso de polícia

A polícia de Rio Preto vai investigar a pancadaria registrada na sessão desta terça-feira na Câmara. Um manifestante, filiado ao PSOL, foi agredido por homens que chegaram ao Legislativo em ônibus do Sindicato dos Motoristas com Daniel Caldeira.
O manifestante André Soledade pedia afastamento de Oscarzinho Pimentel (PSL), investigado pela polícia por suposto abuso sexual de duas adolescentes.
Integrantes do movimento “#vergonhariopreto” registraram boletim de ocorrência e outras agressões. O delegado do 1º DP (Distrito Policial) Domingos José Marcos disse que vai ouvir as vítimas e instaurar inquérito.
Ontem mesmo, a polícia requisitou imagens da sessão à TV Câmara. O vídeo da sessão estava disponível no site da Câmara ontem. “Já requisitei as imagens. Vou ouvir as pessoas que acusam as agressões e ameaças e instaurar inquérito”, afirmou o delegado.
Na gravação da sessão, Soledade passa pelo grupo que foi à Câmara defender Oscarzinho. Minutos depois, ele troca empurrões com um dos homens que estavam com Caldeira.
Em seguida, a “turma de Oscarzinho” vai para local onde estavam manifestantes do “#vergonhariopreto”. Em instantes, começou a pancadaria. Ao menos duas pessoas que desceram do ônibus em que estava Caldeira agrediram Soledade. A briga durou cerca de 30 segundos até a polícia separar o grupo. Soledade disse ontem que vai processar Caldeira, Oscarzinho e o Sindicato dos Motoristas. “Fui agredido por pessoas que nem sabiam o que estavam fazendo ali”, disse Soledade. Depois da briga, o BOM DIA tentou ouvir o rapaz de camisa branca que chegou no ônibus e estava na briga, mas ele não quis falar.
O boletim de ocorrência  foi registrado na polícia por Rosângela  Moyano e Leandro Moyano, do movimento. “Houve ameaças do sindicalista”, consta no BO. De acordo com o delegado, o sindicalista vai ser ouvido.
Ontem, Caldeira disse que não iniciou a briga. “Estou tranquilo em relação ao inquérito. Não agredi ninguém”, afirmou. Durante a sessão, quando o vereador Pedro Roberto (PSOL), falava na tribuna, ele gesticulava e dava socos em uma mão ameaçando e dizendo “vou aí”.  “Ele ofendeu o povo que estava lá e os chamou de trogloditas”, disse. A seu lado, um das pessoas que estavam com ele e participou da agressão também gesticulava. “Havia trabalhadores no ônibus, mas não sei quem são.”
Caldeira creditou toda a  confusão ao movimento do “#vergonhariopreto” e mandou novo recado. “Tem grupo de pessoas que vai acompanhar toda manifestação do ‘vergonha’,  na Câmara, na feira ou na praça”, disse. Caldeira diz que o grupo está a “mando do PT”.
Repercussão / A baixaria na Câmara ganhou repercussão  nacional. Imagens da pancadaria, gravadas pela TV TEM, foram exibidas no Bom Dia Brasil, Jornal Hoje outros  jornais de destaque no país..
Conselho de Ética forma comissão quase um mês depois de suposto abuso vir à tona
Quase um mês depois da denúncia contra Oscarzinho sobre suposto abuso sexual a menor, o Conselho de Ética resolveu abrir investigação no Legislativo. Anteontem na sessão, os vereadores descartaram votar  uma comissão processante que abriria processo de cassação. Os vereadores jogaram o caso para o Conselho de Ética.
Ontem, os integrantes do conselho se reuniram e abriram oficialmente apuração na Casa sobre a conduta de Oscarzinho. Foi formada uma comissão de inquérito. O presidente do Conselho, Paulo Pauléra, definiu que Nilson Silva (PSDB) será o relator da apuração e José Carlos Marinho (PSB), presidente. O grupo ainda terá Manoel Conceição. “A comissão agora  vai definir o que fazer.
Ela tem de notificar Oscarzinho para se defender em 15 dias”, disse. A apuração na Câmara pode demorar até quatro meses para ser concluída. Por isso, a oposição cobrava a abertura imediata de processo que poderia resultar na cassação do mandato de Oscarzinho. (redebomdia.com.br)

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password