Buiú vai a Júri Popular no dia 11 de novembro

Ele será julgado por homicídio triplamente qualificado pelos agravantes do crime que ocasionaram a morte de Aline Camila da Silva Barbosa, em 2014.

A Justiça da Comarca de Votuporanga marcou o julgamento de João Henrique Rodrigues Cassiano, mais conhecido como “Buiú”, para o dia 11 de novembro. Buiú vai a júri popular por homicídio triplamente qualificado pelos agravantes do crime que ocasionaram a morte de Aline Camila da Silva Barbosa, em 2014.

Um advogado já foi nomeado para entrar com a defesa do réu e os 21 jurados para o tribunal serão sorteados no próximo mês, no Fórum de Votuporanga. Porém, apenas sete deles formarão o conselho da sentença no dia do julgamento.

Relembre o caso

Buiú foi o autor de um assassinato cruel, que tirou a vida da jovem Aline Barbosa, de 23 anos na época. Ela foi esfaqueada e arremessada do prédio em que morava no Parque das Nações. Segundo informações colhidas com a Polícia, o crime foi motivado pelo ciúmes que Buiú tinha dela.

Após esfaquear 13 vezes a vítima e a jogar do prédio, Buiú seguiu foragido. O crime chocou a cidade. Na época do crime, a vítima manteve um breve relacionamento amoroso com Marcos Paulo da Silva Araújo, de 22 anos, de Fernandópolis.

Mesmo foragido, Buiú acessava as redes sociais e trocava ameaças pelo Facebook com Marcos Paulo. Um dia após o crime, Buiú escreveu em sua página que lamentava a morte de Aline e que ela “brincou com seus sentimentos”. E ele ainda referiu Marcos como “talarico”.

No dia seguinte, foi a vez de Marcos Paulo postar uma fotografia em sua página em que aparece com uma faca na mão direita. Buiú  ironizou a imagem e escreveu que iria “matá-lo com um facão de cortar cana” ou “comprar um revólver e atirar na cabeça dele”. Fora isso, o autor do crime havia feito várias ameaças contra a família de Marcos, que registrou um boletim de ocorrência na época.

Quando estava foragido, a polícia descobriu que Buiú vivia como mendigo pelas ruas do litoral paulista, entre Santos e Guarujá.

Outra pena

No início deste mês de setembro, Buiú foi condenado a 16 anos de prisão pelo assassinato de outra mulher. Ele ateou fogo contra Mariângela Lima de Morais, em Santos, em 8 de agosto de 2015.

Prisão

Após um ano e meio de fuga por dois assassinatos cruéis na ficha e um jeito de agir que desafiou a polícia, Buiú foi preso pela Polícia Civil no dia 13 de outubro de 2015 no litoral paulista, no centro de Guarujá.

Em posse de informações e de uma foto de Buiú, os policiais passaram a fazer buscas pela região, onde há grande número de moradores de rua. Durante uma abordagem, identificaram o rapaz por meio de suas tatuagens, que de imediato assumiu os dois assassinatos, em Santos e em Votuporanga.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password